quarta-feira, 30 de abril de 2008

Censo realizado pelo governo federal mostra que Brasil tem atualmente 32 mil moradores de rua.


A Pesquisa Nacional sobre a População em Situação de Rua divulgada ontem pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) trouxe notícias nada animadoras para Curitiba. A capital paranaense aparece em terceiro lugar, dentre as 71 cidades pesquisadas, com o maior número de pessoas em situação de rua: o ranking foi calculado levando-se em conta a população total do município e a proporção dos que vivem na rua. Em primeiro e segundo lugares aparecem, respectivamente, São José dos Campos (SP) e Santos (SP). Se for considerado um levantamento anterior feito na cidade de São Paulo, Curitiba passa para o quarto lugar nacional.

Segundo a diretora do departamento de proteção social do MDS, Valéria Gonelli, foram consideradas moradoras de rua todas as pessoas encontradas dormindo na rua, em albergues e algumas que estavam hospitalizadas, mas não tinham endereço fixo. Não foi contabilizada a população que mora em imóveis invadidos. Também não entraram na pesquisa quatro capitais, porque já tinham pesquisas semelhantes e atuais. São elas: São Paulo, Belo Horizonte, Recife e Porto Alegre.

RADIOGRAFIA
Um dado que surpreendeu na pesquisa: a grande maioria dos 31.922 moradores de rua entrevistados é alfabetizada. Saiba mais sobre eles:

82% são homens.

74% sabem ler e escrever.

45,8% sempre viveram no município em que moram atualmente.

51,9% possuem algum parente residente na cidade onde se encontram, porém, só 38,9% mantêm contato.

88,5% não recebem qualquer benefício dos órgãos governamentais.

24,8% não possuem qualquer documento de identificação.

61,6% não exerce o direito de cidadania elementar que é o voto, uma vez que não possui título de eleitor.

dados fonte:
http://portal.rpc.com.br/gazetadopovo

Oque nos choca e saber como pode um ser humano viver nessas condições sub-humanas, as autoridades tem de rever a forma de como ajudar essas pessoas.Isto não é condição de vida e sobrevivência para ninguem.

terça-feira, 29 de abril de 2008

Poesia sobre o aprendizado

Aprendi...

“ Aprendi que eu não posso exigir o amor de ninguém.

Posso apenas dar boas razões para que gostem de mim e Ter paciência, para que a vida faça o resto.

Aprendi que não importa o quanto certas coisas sejam importantes para mim, tem gente que não dá a mínima e eu jamais conseguirei convencê-las.

Aprendi que posso passar anos construindo uma verdade e destruí-la em apenas alguns segundos.

Que posso usar o meu charme por apenas 15 minutos, depois disso, preciso saber do que estou falando.

Eu aprendi...Que posso fazer algo em um minuto e ter que responder por isso o resto da vida.

Que por mais que se corte uma pão em fatias, esse pão continua tendo duas faces, e o mesmo vale para tudo o que cortamos em nosso caminho.

Aprendi... Que vai demorar muito para me transformar na pessoa que quero ser, e devo ter paciência.

Mas, aprendi também que posso ir além dos limites que eu próprio coloquei.

Aprendi que preciso escolher entre controlar meus pensamentos ou ser controlado por eles.

Que os heróis são pessoas que fazem o que acham que devem fazer naquele momento, independentemente do medo que sente.

Aprendi que perdoar exige muita prática.

Que há muita gente que gosta de mim, mas não consegue expressar isso.

Aprendi... Que nos momentos mais difíceis, a ajuda veio justamente daquela pessoa que eu achava que iria tentar piorar as coisas.

Aprendi que posso ficar furioso, tenho o direito de me irritar, mas não tenho o direito de ser cruel.

Que jamais posso dizer a uma criança que seus sonhos são impossíveis, pois seria uma tragédia para o mundo se eu conseguisse convencê-la disso.

Eu aprendi que meu melhor amigo vai me machucar de vez em quando, e que eu tenho que me acostumar com isso.

Que não é o bastante ser perdoado pelos outros, eu preciso me perdoar primeiro.

Aprendi que, não importa o quanto meu coração esteja sofrendo, o mundo não vai parar por causa disso.

Eu aprendi... Que as circunstâncias de minha infância são responsáveis pelo que eu sou, mas não pelas escolhas que eu faço quando adulto;

Aprendi que numa briga preciso escolher de que lado eu estou, mesmo quando não quero me envolver.

Que, quando duas pessoas discutem, não significa que elas se odeiem; e quando duas pessoas não discutem não significa que elas se amem.

Aprendi que por mais que eu queira proteger os meus filhos, eles vão se machucar e eu também. Isso faz parte da vida.

Aprendi que a minha existência pode mudar para sempre, em poucas horas, por causa de gente que eu nunca vi antes.

Aprendi também que diplomas na parede não me fazem mais respeitável ou mais sábio.

Aprendi que as palavras de amor perdem o sentido, quando usadas sem critério.

E que amigos não são apenas para guardar no fundo do peito, mas para mostrar que são amigos.

Aprendi que certas pessoas vão embora da nossa vida de qualquer maneira, mesmo que desejemos retê-las para sempre.

Aprendi, afinal, que é difícil traçar uma linha entre ser gentil, não ferir as pessoas, e saber lutar pelas coisas em que acredito.”

fonte:Autora Michele Aparecida Menegon
www.portaldovoluntario.org.br

DICAS DE RECICLAGEM


1. Regue as plantas de manhã cedo ou ao cair da noite. Quando o sol está alto e forte, grande parte da água perde-se por evaporação.

2. Seja econômico: poupe papel, usando o outro lado para tomar notas ou fazer rascunhos; os pratos e copos de papel são ótimos para piqueniques.

3. Um terço do consumo de papel destina-se a embalagens. E alguns têm um período de uso inferior a 30 segundos. Contribua para a redução do consumo dos recursos naturais.

4. Regule o seu carro e poupará combustível. Use gasolina sem chumbo.

5. As fotocopiadoras e as impressoras a laser utilizam cassetes de toner de plástico, que freqüentemente têm de ser substituídas. Contate uma empresa que recicle esse plástico ou que o use novamente.

6. Um estudo desenvolvido pela NASA mostra que as PLANTAS conseguem remover 87% dos elementos tóxicos do ambiente de uma casa no espaço de 24 horas. Distribua plantas profusamente por todas as instalações. Recomenda-se, pelo menos, uma planta de 1,2 a 1,5 metros por cerca de 10 metros quadrados. Escolha espécies de plantas que se dêem bem com pouca luz natural.

7. Instale LÂMPADAS FLUORESCENTES. Substituir-se uma lâmpada tradicional por uma fluorescente evita o consumo de energia equivalente a cerca de um barril de petróleo ou 317 quilogramas de carvão, que produziria 1 tonelada de dióxido de carbono (o maior gás de estufa) e 6 quilogramas de dióxido de enxofre, que contribui para a chuva ácida. As lâmpadas fluorescentes, além disso, duram em média, 13 vezes mais do que uma lâmpada incandescente. São bons motivos para escolher.

8. Desligue as luzes e os equipamentos (computadores fotocopiadoras, etc.) quando sair do escritório. Está provado que, se durante um ano desligarem-se dez computadores pessoais, à noite e durante os fins-de-semana, vai se poupar em energia o equivalente ao preço do computador. Instale sensores de presença que desliguem as luzes sempre que a sala fique vazia.

9. Antes de decidir comprar equipamentos para o escritório, saiba que as impressoras a jato de tinta usam 99% MENOS ENERGIA que as impressoras a laser, durante a impressão, e 87% menos quando inativas; os computadores portáteis consomem 1% da energia de um computador de escritório. Se for possível, opte por esses equipamentos.

10. Calcula-se que um em cada quatro documentos enviados por FAX são posteriormente fotocopiados porque o original tende a perder visibilidade. Desta forma gasta-se não só o papel de FAX (normalmente não reciclável porque é revestido com produtos químicos que são aquecidos para a impressão) mas também o de fotocópia. Compre um aparelho de fax que use papel normal. Funcionam como fotocopiadoras ou impressoras em papel vulgar.

11. Roupas usadas podem ser dadas a outras pessoas ou a bazares de caridade.

12. Brinquedos velhos, livros e jogos que você não quer mais podem ser aproveitados por outros; portanto, não os jogue fora.
13. Descubra se há locais apropriados para o recolhimento de papel velho. Normalmente, esses locais são organizados pelas autoridades locais ou instituições de caridade.

VOCÊ SABIA????

• Que cada pessoa produz DIARIAMENTE 1,2 kg de lixo, em média?
• Que o Brasil produz cerca de 100 MIL TONELADAS de lixo por dia?
• Que o Brasil recicla MENOS DE 5% do lixo urbano – valor muito baixo se comparado à quantidade de material reciclado nos Estados Unidos e na Europa (40%)?
• Que de tudo que é jogado diariamente no lixo, pelo menos 35% poderia ser reciclado ou reutilizado, e outros 35%, serem transformados em adubo orgânico?
• Quanto tempo o lixo leva, em média, para se decompor?

Papel .......................... 3 meses
Palito de fósforo......... 6 meses
Ponta de cigarro ......... 1 a 2 anos
Chiclete ...................... 5 anos
Lata ............................ 10 anos
Sacos Plásticos ........... 30 a 40 anos
Garrafa de plástico ..... mais de 100 anos
Latinha de cerveja ...... 200 anos
Tecido ........................ de 100 a 400 anos
Fralda descartável ...... 600 anos
Vidro .......................... mais de 4000 anos !!!!!!

• Que para se fazer uma tonelada de papel são derrubados VINTE EUCALIPTOS, que demoram 7 anos para crescer?
• Que para cada tonelada de alumínio são retiradas da terra QUATRO TONELADAS de bauxita?
• Que uma única pilha contamina o solo por 50 anos?
• Que uma torneira a pingar significa que 190 litros de água POR DIA estão escorrendo cano abaixo?

site:www.naturallimp.com.br

Os recipientes para receber materiais recicláveis seguem o seguinte padrão:

Verde: vidro
Amarelo: metal(latas)
Azul: papel
Vermelho: pilhas (plástico)
Preto: madeira
Laranja: resíduos perigosos
Branco: resíduos ambulatoriais e de serviços de saúde
Roxo: resíduos radioativos
Marrom: resíduos orgânicos
Cinza: resíduo geral não-reciclavel ou misturado ou contaminação não possível de separação

Lista de materiais que podem ser reciclados
Papel e papelão
Embalagens longa vida
Garrafas PET
Latas de alumínio
Vários tipos de metais: cobre, aço, chumbo, latão, zinco, entre outros.
Plásticos: PEAD(Polietileno de alta densidade), PEBD(polietileno de baixa densidade), PVC(policloreto de Vinila), PP, PS.
Pneus
Tinta
Restos da construção civil
Restos de alimentos e partes dos mesmos que não foram aproveitadas
Óleo
Galhadas
Garrafas de vidro (cervejas, refrigerantes, etc).
Tecido (sobra de confecções, roupas velhas, etc).
Parafusos
Nota: podem ser reutilizados por algumas empresas ou isolados em aterros industriaisLâmpada fluorescente
Alguns tipos de pilha
Espelho
Cristal
Papel carbono ou Papel químico
Papéis Metalizados ou Plastificados
isopor (Esferovite)

Vantagens da reciclagem
Cestos de reciclagem de lixoOs resultados da reciclagem são expressivos tanto no campo ambiental, como nos campos econômico e social.

No meio-ambiente a reciclagem pode reduzir a acumulação progressiva de lixo a produção de novos materiais, como por exemplo o papel, que exigiria o corte de mais árvores; as emissões de gases como metano e gás carbônico; as agressões ao solo, ar e água; entre outros tantos fatores negativos.

No aspecto econômico a reciclagem contribui para a utilização mais racional dos recursos naturais e a reposição daqueles recursos que são passíveis de re-aproveitamento.

No âmbito social, a reciclagem não só proporciona melhor qualidade de vida para as pessoas, através das melhorias ambientais, como também tem gerado muitos postos de trabalho e rendimento para pessoas que vivem nas camadas mais pobres.No Brasil existem os carroceiros ou catadores de papel, que vivem da venda de sucatas, papéis, latas de alumínio e outros materiais recicláveis deitados para o lixo. Também trabalham na colecta ou na classificação de materiais para a reciclagem. Como é um serviço penoso, pesado e sujo, não tem grande poder atrativo para as fatias mais qualificadas da população.


O manuseio de lixo deve ser feito de maneira cuidadosa, para evitar a exposição a agentes causadores de doenças.

No Brasil, a cidade que mais recicla seu lixo é Curitiba: atualmente, 20% de todo o lixo produzido - cerca de 450 toneladas por dia - são reciclados na capital paranaense[1].

EE Professora Neiva De Lourdes Andrade


Com exemplos de cidadania e responsabilidade social, a Escola Estadual Profa.Neiva de Lourdes Andrade, localizada no Bairro do Jardim São Bernardo na Zona sul de São Paulo, realizou em 26/04/08 um evento com enfoque no tema da Dengue hoje um dos problemas sérios da saúde pública.
Evento este elaborado e coordenado pela diretora da Escola a Sra. Cristiane Bomfim, onde organizou junto com sua equipe de professores e colaboradores apresentação de Fantoches, maquetes, trabalhos manuais desenvolvidos pelos alunos de todas as séries da escola.
Ocorreu apresentação de palestra com a equipe da vigilância Sanitária onde a mesma orientou os presentes sobre os cuidados e na prevenção da Dengue.
Não faltou intusiasmo nos participantes, tornando público e notório que nada melhor que educar as nossas crianças e transforma-las em agentes fiscalizadores de nosso lar e família em geral.
Parabens a esta iniciativa da direção da Escola Prof.Neiva, fazendo e ocupando um importante papel de comunicação e informação na nossa comunidade local.

Mais informação sobre a Dengue
DOENÇAS E AGRAVOS
DENGUE: PREVENÇÃO
A Dengue como doença só existe devido à presença do mosquito Aedes aegypti em nosso meio ambiente, pois ele é o transmissor da doença.

Para evitar a sua propagação, há necessidade de eliminarmos os locais que acumulam água e servem de criadouro para o mosquito, principalmente em nossas residências, assim:

Pratos de vasos de plantas devem ser preenchidos com areia;

Tampinhas, latinhas e embalagens plásticas devem ser jogadas no lixo e as recicláveis guardadas fora da chuva;

Latas, baldes, potes e outros frascos devem ser guardados com a boca para baixo;

Caixas d’água devem ser mantidas fechadas com tampas íntegras sem rachaduras ou cobertas com tela tipo mosquiteiro;

Piscinas devem ser tratadas com cloro ou cobertas;

Pneus devem ser furados ou guardados em locais cobertos;

Lonas, aquários, bacias, brinquedos devem ficar longe da chuva;

Entulhos ou sobras de obras devem ser cobertos, destinados ao lixo ou “Operação Cata-Bagulho”;

Cuidados especiais para as plantas que acumulam água como bromélias e espadas de São Jorge, ponha água só na terra.

fonte:http://www6.prefeitura.sp.gov.br/secretarias/saude/vigilancia_saude/doenca_agravo/0003

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Aprendendo com a natureza


Se você colocar um falcão em um cercado de um metro quadrado, e inteiramente aberto por cima, o pássaro, apesar de sua habilidade para o vôo, será um prisioneiro. A razão é que um falcão sempre começa seu vôo com uma pequena corrida em terra. Sem espaço para correr, nem mesmo tentará voar e permanecerá um prisioneiro pelo resto da vida, nessa pequena cadeia sem teto. O morcego, criatura notavelmente ágil no ar, não pode sair de um lugar nivelado. Se for colocado em um piso completamente plano, tudo que ele conseguirá fazer é andar de forma confusa, dolorosa, procurando alguma ligeira elevação de onde possa se lançar. Um zangão, se cair em um pote aberto, ficará lá até morrer ou ser removido. Ele não vê a saída no alto, por isso, persiste em tentar sair pelos lados, próximo ao fundo. Procurará uma maneira de sair onde não existe nenhuma, até que se destrua completamente, de tanto atirar-se contra o fundo do vidro. Há pessoas como o falcão, o morcego e o zangão: atiram-se obstinadamente contra os obstáculos, sem perceber que a saída está logo acima. Se você está como um zangão, um morcego ou um falcão, cercado de problemas por todos os lados, olhe para cima! Às vezes só vemos obstáculos, quando a saída está mais próxima do que imaginamos.

domingo, 27 de abril de 2008

TUBERCULOSE É UMA DOENÇA ANTIGA, MAS QUE TEM CURA!

VAMOS INFORMAR MUITO A POPULAÇÃO, VAMOS PREVENIR SEMPRE
Um aliado importante para a identificação precoce
da doença é a informação.

Tosse prolongada por mais de três semanas é o principal sintoma da presença de tuberculose. Essa mensagem constará dos materiais informativos que serão divulgados durante a Semana de Intensificação e Controle da Tuberculose, que acontece de 24 a 28 de março. A Coordenação de Vigilância em Saúde (COVISA) é o órgão da Secretaria Municipal da Saúde responsável pelas ações de intensificação, que objetiva identificar os casos suspeitos da doença no município.

- Realização de palestras nas salas de espera das Unidades de Saúde, empresas, escolas e outros;

- Programa Saúde da Família (PSF): os agentes comunitários de saúde durante as visitas domiciliares darão especial atenção na identificação de busca de suspeitos de tuberculose.

Doença tem cura
O preconceito ainda ronda a tuberculose e os portadores da doença ainda sofrem discriminação. Embora antiga, a tuberculose é uma doença que tem cura, apesar do adoecimento de milhares de pessoas nos dias atuais.


Quanto mais cedo for identificada a doença, e instalado o tratamento adequado, menor a possibilidade de infectar outras pessoas. A tuberculose se agrava quando as pessoas não procuram o serviço de saúde para saber o motivo de um dos principais sintomas, que é a tosse. A informação correta é uma das formas de prevenção.

A doença atinge basicamente a população adulta, das classes C e D, preferencialmente aquela parcela que vive sob más condições de moradia, de nutrição e de vida em geral. De acordo com as estatísticas, o doente de tuberculose encontra-se na faixa etária considerada produtiva, isto é, de 20 a 50 anos de idade.

Tratamento Gratuito
O tratamento da tuberculose é realizado, gratuitamente, nas Unidades Básicas de Saúde, com acompanhamento supervisionado: o paciente comparece à unidade de saúde, diariamente, para tomar sua medicação, sempre observado por um profissional de saúde, por um período mínimo de seis meses.


O tratamento supervisionado ocorre como forma de garantir que não haja abandono do tratamento pelo paciente, pois a medicação precisa ser contínua, não podendo ser interrompida, o que ocorre quando o doente melhora dos sintomas e desiste do tratamento e do acompanhamento médico, permitindo assim, que o bacilo fique resistente aos remédios.


Dados estatísticos da doença
Situação da doença no mundo:

1/3 da população mundial está infectada pelo bacilo da TB (100 milhões por ano)
8 milhões de doentes a cada ano (22 mil por dia)
2 milhões de mortes por ano (350 mil por TB/HIV)
1 morte a cada 15 segundos
80% dos casos em 22 países (Brasil ocupa o16º lugar)

Fonte: Ministério da Saúde, fev.2008

Situação da doença no Brasil:

80 mil casos novos de TB notificados por ano

Estimativa de 96.000 casos (OMS, 2007)

5 mil mortes por ano

70% dos casos estão em 315 dos 5.570 municípios brasileiros

A maioria dos doentes está nas capitais e regiões metropolitanas dos grandes municípios.

Fonte: Ministério da Saúde, fev.2008

Situação da doença na Cidade de São Paulo:

6.000 casos novos/ano notificados*

Óbitos - constata-se uma queda de 51% em número:

1996 - 648 óbitos

2006 – 317 óbitos**.



Fonte*: CCD/EPITB, novembro, 2007

Fonte**: PROAIM/TABNET, acesso novembro, 2007

SAIBA MAIS SOBRE A TUBERCULOSE (TB)


1- Qual o principal sintoma da TB?

O principal sintoma é a tosse prolongada por mais de três semanas, com ou sem catarro, que ocorre em quase todos os doentes com tuberculose pulmonar. A confirmação é feita através do exame do catarro, que detecta a presença do bacilo da TB.


2- O que fazer quando o resultado do exame der positivo?


O paciente é convocado a comparecer à unidade básica de saúde para iniciar imediatamente o tratamento da tuberculose, que é gratuito, dentro do Sistema Único de Saúde - SUS. O tratamento consta de acompanhamento médico mensal, realização de exames e fornecimento dos medicamentos.


3- Quando a pessoa demora a fazer o exame e o diagnóstico é tardio, ela corre o risco de morrer de TB?


Sim, porque quando o diagnóstico é tardio, a doença se agrava tornando o tratamento mais difícil e deixando seqüelas irreversíveis. Quanto maior for a gravidade e as seqüelas, maior o risco de morte. Mais de dois milhões de doentes morrem de tuberculose por ano em todo o mundo.

4- Por que as pessoas abandonam o tratamento?


Um dos principais motivos é que após iniciar o tratamento, o doente melhora dos sintomas e acredita estar curado, interrompendo a medicação e o acompanhamento médico.


5- O que acontece quando o tratamento é abandonado?


Os medicamentos vão eliminando os bacilos existentes no organismo, primeiro de forma rápida e depois paulatinamente, necessitando de pelo menos 6 meses para completar o tratamento. Os bacilos que não foram eliminados, devido a interrupção dos medicamentos, podem voltar a se multiplicar no organismo e manifestar novamente a doença, e muitas vezes na forma resistente, não respondendo mais aos medicamentos tradicionais.

6- Como se dá o contágio?

Da pessoa doente de tuberculose pulmonar para outra pessoa, através das gotículas expelidas pela tosse, fala e espirro. Pessoas que convivem com o doente de TB, principalmente no domicílio ou no local de trabalho, especialmente em ambientes fechados e sem ventilação, são as que têm mais chances de contágio.

fonte site

Controlar a pressão arterial é necessário e vital a saúde


Prevenir hipertensão reduziria gastos em R$ 804 milhões por ano
Para isso, seria preciso controlar pressão arterial de 25% dos portadores da doença, que atinge 26 mi de brasileiros

Emilio Sant’Anna

Controlar a pressão arterial de 25% dos brasileiros com hipertensão significaria redução de R$ 804 milhões (US$ 482 milhões) nos custos anuais do Ministério da Saúde com o tratamento. Para se ter idéia da importância da economia, ela seria maior, por exemplo do que os R$ 700 milhões que o governo federal gastou em 2007 com a distribuição de remédios anti-retrovirais pelo Programa Nacional de DST/Aids.

Essa economia é apontada por um relatório do Banco Mundial enviado em 2005 ao governo brasileiro e divulgado apenas nesta semana pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). O estudo revela também que o controle da pressão arterial dessa população resultaria em US$ 2,153 milhões economizados com perdas financeiras decorrentes da incapacidade de pacientes, vítimas, por exemplo, de acidentes vasculares cerebrais (AVCs). “Isso impacta diretamente na força de trabalho”, diz Rosa Sampaio, coordenadora nacional de Hipertensão e Diabete do Ministério da Saúde.

Um dado inédito do ministério chama a atenção: 21,6% da população com 18 anos ou mais é hipertensa. Isso representa cerca de 26,5 milhões de pessoas que sabem que têm a doença. Apenas 5.076.631 estão no Sistema Nacional de Cadastro e Monitoramento de Hipertensos e Diabéticos (Sis-Hiperdia). Pior, 1.478.304 sofrem de hipertensão e diabete.

Segundo Rosa, o controle da doença ainda é baixo não apenas no Brasil. “No máximo 20% dos pacientes mantêm a pressão de no máximo 14 por 9”, diz. Essa é a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) para evitar as conseqüências da doença. Cerca de 40% dos casos de insuficiência cardíaca, 80% dos AVCs e 25% dos casos de insuficiência renal terminal são resultado da hipertensão.

Para o presidente do departamento de Hipertensão Arterial da SBC, Carlos Alberto Machado, o problema assume importância maior quando se constata a baixa adesão ao tratamento. “Não temos a cultura da prevenção e a maioria dos pacientes abandona os remédios ainda no primeiro ano de tratamento.”

O relatório do Banco Mundial aponta três medidas básicas para impedir o avanço da doença: controlar a pressão arterial, praticar atividades físicas e abandonar o tabagismo. Dessas, a com maior efetividade é o controle da pressão. “Isso reduz em 40% os fatores de risco”, diz Machado.

O médico, ex-coordenador do Comitê Nacional do Plano de Reorganização da Atenção à Hipertensão Arterial e ao Diabetes Mellitus do Ministério da Saúde, condena a falta de um programa mais efetivo. “Hoje, não existe um planejamento de longo prazo para controlar a doença”, afirma.

O resultado está na distribuição dos casos. De acordo com os dados inéditos do ministério, o Rio é a cidade com o maior número de hipertensos - 27% da população carioca maior de 18 anos é hipertensa. Em São Paulo, esse índice é de 23,6%. “Entre ter um programa de controle e ele efetivamente funcionar existe distância muito grande”, diz Machado. Amanhã, no Dia Nacional de Combate à Hipertensão, a SBC terá ajuda da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil e Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil na campanha de prevenção.
fonte jornal Estado de SP

sexta-feira, 25 de abril de 2008

Alimentação Nutritiva a baixo custo


O Clique a Gosto, com apoio do SESI - Serviço Social da Indústria, divulga o programa "Alimente-se Bem". Uma iniciativa que, desde 1999, desenvolve receitas para uma alimentação de qualidade e baixo custo, apresentando ao trabalhador alternativas e orientações que buscam melhorar a sua qualidade de vida.

Cardápio especialReceitas nutritivas e de baixo custo

Café da manhã

Bolo de hortelã

Geléia de beterraba com banana

Prato Principal

Rolinhos de linguiça

Panqueca de milho

Medalhão de frango

Guarnição


Charutos de folha de beterraba

Lasanha de abóbora

Omelete assada de arroz

Sopa

Creme branco enriquecido

Sopa de talos de brócolis

Sobremesa

Batata em calda

Creme cítrico

Saiba mais

A alimentação é usualmente tema de interesse das pessoas, porém, na prática, percebe-se que poucas apresentam comportamento alimentar sadio, quer seja por falta de conhecimento, quer seja por influência social e cultural dos meios de comunicação.

O Consumo exagerado de determinados alimentos, em detrimento de outros mais necessários à saúde, tem gerado níveis preocupantes de desnutrição e de carências nutricionais específicas. A situação se agrava com o desperdício de alimentos, que faz do lixo brasileiro um dos mais "ricos" do mundo.

Nossa tera é rica em variedades de frutas, verduras e legumes. O clima e os cuidados com a conservação do solo permitem que as plantas cresçam saudáveis e nutritivas em todas as suas partes: folhas, caules, frutas, semantes e raízes.

Utilizar o alimento em sua totalidade significa mais que economia. Significar usar os recursos disponíveis sem desperdício, reciclar, respeitar a natureza e alimentar-se bem, com prazer e dignidade.
Desse modo, torna-se fundamental a realização de projetos de educação nutricional que visem esclarecer a população sobre a importância do aproveitamento integral dos alimentos para a melhoria do estado nutricional, bem como apresentar alternativas de utilização desses alimentos.



Cadastre-se agora mesmo para ter seu
Livro de Receitas.
Com ele você arquiva e organiza
suas receitas preferidas.
Aproveite, é de graça !

link:
http://msn.cliqueagosto.com.br/saboresespeciais/acao_social.php

Cadastre-se e receba nosso boletim com notícias deliciosas

Dados da região da zona sul - Capela do Socorro -investimento social

Zona Sul 2
Bairros/Distritos administrativos: Socorro, Cidade Dutra e Grajaú
Site: http://capeladosocorro.prefeitura.sp.gov.br
Email: capeladosocorro@prefeitura.sp.gov.br
Telefone: 5668-1855
Endereço: R. Cassiano dos Santos, 499 - Bairro: Socorro - CEP: 04827-000
População total: 645.715 habitantes
População de 0 a 10 anos: 140.831 habitantes
População de 11 a 19 anos: 100.708 habitantes
População com mais de 19 anos: 404.176 habitantes
Fonte: SEADE - população estimada em 2006
Área geográfica total: 134,00 km2
Área urbanizada: 0.0 km2

Bairros mais ricos de SP têm até quatro vezes mais investimento que os mais pobres, diz estudo
Por Sara Duarte
Em São Paulo


Uma pesquisa realizada pela ONG Movimento Nossa São Paulo e divulgada nesta quinta-feira (24) traduz em números a desigualdade econômica e social entre as diferentes regiões da capital paulista. O estudo, feito com dados oficiais, fornecidos pela Prefeitura de São Paulo, revela que enquanto bairros de classe média como os de Pinheiros e Jardins têm serviços de saúde, educação e cultura semelhantes aos de países desenvolvidos, bairros da periferia da capital apresentam total carência de serviços essenciais.

O estudo revela quanto a Prefeitura efetivamente investe em cada uma das 31 subprefeituras da cidade. Ao analisar o orçamento de cada subprefeitura em 2006 e dividi-lo pelo número de habitantes atendidos, a ONG conseguiu detectar que o volume de recursos que chega aos bairros ricos é em média 4 vezes maior que chega aos bairros pobres.

No período analisado, as três subprefeituras com maior orçamento per capita foram Pinheiros (R$ 126,59), Sé (R$ 123,22) e Santo Amaro (R$ 120,87). No outro extremo, as de menor investimento foram as de Capela do Socorro (R$ 31,43), M'Boi Mirim (R$ 35,60) e Cidade Ademar (R$ 44,66)
De acordo com Maurício Broinizi Pereira, coordenador-executivo do Movimento Nossa São Paulo, o volume de recursos repassados pela Prefeitura às subprefeituras é desproporcional ao tamanho dos bairros e de sua população. "A maior parte dos investimentos se concentra em bairros de classe média alta, que concentram uma elite com capacidade de pressão política", afirma.

Um exemplo: a verba destinada à região da subprefeitura de Pinheiros (Pinheiros, Jardim Paulista, Alto de Pinheiros e Itaim Bibi), com 245 mil habitantes divididos por 32 km2, foi quatro vezes maior do que o total destinado à Capela do Socorro (Socorro, Cidade Dutra e Grajaú), que tem 645 mil habitantes em uma área de 134 km2.

Além da desigualdade de investimentos, a pesquisa revelou a desvantagem dos bairros de periferia com relação a acesso a saúde, educação, esporte, cultura e lazer.

Comparando o número de hospitais existentes em toda São Paulo, o estudo constatou que a cidade tem em média 2,84 leitos hospitalares para cada 100 mil habitantes. Os bairros mais bem assistidos são os da região da Sé (18,64 leitos para cada 100 mil habitantes), da Vila Mariana (16) e de Pinheiros (12,53). Os menos bem assistidos são os de Campo Limpo (0,02 leitos para cada 100 mil habitantes) e Aricanduva e Freguesia do Ó/Brasilândia (0,47 cada). E há regiões que não contam com um leito sequer: Cidade Ademar, Cidade Tiradentes, Parelheiros e Perus.

Quanto acesso à educação, a desigualdade mais evidente está no número de horas de aula oferecidas a estudantes de bairros pobres e ricos. Na periferia, para atender a um número maior de alunos, as escolas municipais de Ensino Fundamental têm aulas divididas em três turnos de quatro horas - o intermediário, das 11h às 15h, é conhecido como 'o turno da fome'. Em Cidade Tiradentes, por exemplo, 69% das escolas seguem esse sistema. Em Campo Limpo, 51%. Já em Pinheiros e na Sé, todas as escolas têm apenas dois turnos, de seis horas cada.

Segundo os organizadores do estudo, a falta de serviços públicos essenciais é determinante para o agravamento de problemas sociais na periferia. "As subprefeituras com menor grau de investimento público são as que têm os piores indicadores de criminalidade juvenil", diz Pereira.

A partir de dados do Pro-Aim (Programa de Aprimoramento de Dados sobre a Mortalidade no Município de São Paulo), o Movimento Nossa São Paulo fez uma análise do número de homicídios de jovens do sexo masculino de 15 a 29 anos em toda a cidade de São Paulo.

Segundo essa análise, as regiões com menor número de mortes violentas são as das subprefeituras de Vila Mariana (10,19 para cada 100 mil habitantes), Pinheiros (12,85) e Lapa (18,12). As regiões com maior número são: Casa Verde/Cachoeirinha (174,92), Freguesia do Ó/Brasilândia (143,44) e M'Boi Mirim (129,69). "Ou seja, enquanto os bairros mais ricos de São Paulo apresentam índices de mortes violentas semelhantes ao de países desenvolvidos, os mais pobres da periferia apresentam taxas semelhantes às de países em guerra", diz Pereira.

De posse desses dados, a ONG espera convencer a população a pressionar a Prefeitura para que ela atenda de forma mais equânime os 96 distritos da cidade. De acordo com os organizadores, o estudo poderia servir para nortear os postulantes ao cargo de prefeito e às 55 vagas na Câmara Municipal a montarem programas que atendam às reais necessidades de cada bairro. A íntegra da pesquisa pode ser acessada no site do Movimento Nossa São Paulo.www.nossasaopaulo.org.br

quinta-feira, 24 de abril de 2008

Nossa Parceira - Tudo pela Criança


Como é bom o lúdico, a imaginação a fantasia da criança.Na mente da criança tudo tem uma dimensão tão grande, o amor, a fantasia, as cores, a liberdade de aceitar conceitos e informações.Trabalhe com a criança e transforme ela num cidadão consciente, responsável, que tenha amor pela natureza, pela vida, pelo próximo.
Precisamos de polos de vida de amor espalhado por este mundo tão cheio de coisas ruins e de informações conturbadas.
Parabens a esta profissional que dedica do seu tempo a criança!
conheça seu trabalho neste site abaixo
site:www.fadaceleste.com

quarta-feira, 23 de abril de 2008

vacinação da GRIPE 2008

SP terá 445 postos fixos para vacinar idosos contra a gripe
Campanha começa dia 26. Meta é imunizar 3 milhões em todo o estado.
Veja a lista dos postos fixos que vão funcionar neste sábado.
Do G1, em São Paulo
entre em contato
Cerca de 3 milhões de pessoas com mais de 60 anos devem ser vacinadas contra a gripe em 2008 em todo o estado de São Paulo, pelos cálculos da Secretaria de Estado da Saúde. Segundo a secretaria, na capital haverá 445 postos fixos de vacinação que estarão abertos sábado (26), quando começa a campanha.

veja o link em nosso site LINKS INTERESSANTES
FONTE GI
Veja a relação dos postos fixos que vão funcionar dia 26

A distribuição e a aplicação das doses envolverão, em todo o estado, 28 mil profissionais, 2,7 mil carros e sete barcos. A campanha inclui também a vacinação dos idosos internados em cerca de 1.520 asilos e estabelecimentos de repouso instalados em todo território paulista.

No período da campanha de imunização, a secretaria oferecerá à população, além da vacina contra o vírus influenza, as vacinas duplas adulto (contra tétano e difteria) e a que previne o pneumococo, bactéria causadora de pneumonia, otite, sinusite, faringite e meningite.

Os postos funcionarão das 8h às 17h.

vacinação da GRIPE 2008


Campanha quer vacinar mais de 14 milhões de idosos contra a gripe
Publicidade
da Agência Brasil

Idosos de todo o país devem procurar os postos de saúde para tomar a vacina contra a gripe entre os dias 26 de abril e 9 de maio. A expectativa do Ministério da Saúde é que na 10ª edição da Campanha Nacional de Vacinação do Idoso sejam imunizadas mais de 14 milhões de pessoas com 60 anos ou mais.

O número corresponde a 80% dessa faixa da população. Nos anos anteriores, a meta era chegar a 70% dos idosos. De acordo com a coordenadora nacional de Imunização do ministério, Marília Bulhões, o aumento na meta se deve à adesão da população idosa à campanha.

"A campanha já representou um impacto de diminuição em 32% dos casos de hospitalização e 50% dos casos de mortes por infecções respiratórias", detalhou a coordenadora, na coletiva de apresentação da campanha, em Brasília. Ela disse ainda não ter números absolutos da economia gerada pela redução, mas afirmou que, "certamente, o custo-benefício é bastante assegurado".

No ano passado, segundo Marília Bulhões, o Estado que teve a menor adesão à campanha foi o Rio Grande do Sul. Por causa do frio, muitos idosos não tiveram como sair de casa para tomar a vacina. Ao final da campanha, 80% dos idosos no Estado haviam sido vacinados, em média. Segundo a coordenadora, em alguns municípios gaúchos, a cobertura foi interior a 70%, o que significa que é preciso reforçar a divulgação da importância da vacinação.

"Por isso, a campanha é esclarecedora não só para eles mas para os familiares, que devem se dispor a ajudar. Temos que deixar claro que a vacina é anual, a do ano passado não vale para este [ano] porque ela é produzida de acordo com os vírus circulantes no país no último ano", ressaltou a coordenadora, acrescentando que ainda "falta uma pesquisa qualitativa para identificar os motivos da pouca procura".

Quem está com dengue pode tomar a vacina, a não ser que a doença esteja no estágio mais agudo. Só não devem se imunizar aqueles idosos que têm casos comprovados de alergia a ovo, uma vez que a vacina é produzida no embrião da galinha.

Motivação, atitudes e lei da atração


Recentemente, fomos tomados por uma nova onda chamada “A Lei da Atração”. Assim como aconteceu com a “Inteligência Emocional”, esta nova onda já vem trazendo em sua crista profissionais e consultores “preparados” para traduzir em atitudes tudo aquilo que as pessoas precisam saber como enriquecer, como conseguir a casa dos sonhos, como conquistar a pessoa amada (até aquelas que as cartomantes não conseguiram atrair). Enfim, uma infinidade de aplicações sensacionais e sensacionalistas.
A lei da atração funciona. Mas, não porque estou afirmando. Muito menos porque seus autores atestam sua efetividade. Simplesmente porque o universo é regido por leis naturais e uma delas é exatamente a lei da atração. O fato é que algumas pessoas souberam traduzir isso tudo em uma linguagem acessível e relativamente prática. Daí, temos mais um best-seller: “O Segredo”, de Rhonda Byrne.

O verdadeiro segredo está dentro de nós. Sempre esteve e sempre estará. A questão é que o ser humano, em geral, é tão preguiçoso em olhar para si mesmo que precisa de fórmulas mágicas para atingir o sucesso pessoal. Sempre foi assim. A história da humanidade está repleta de fatos que reforçam esta minha afirmação. Os povos mais primitivos até as atuais sociedades capitalistas sempre precisaram de um pajé, um curandeiro, um padre, um pastor, ou alguém que estivesse “conectado com o divino”. É algo como: “deixa comigo que eu resolvo seus problemas!”; mas, na maioria das vezes, os problemas só podem ser resolvidos pela própria pessoa, e aí vem a frustração, o desencanto, o descontentamento.

Olhar para dentro de si mesmo dá trabalho. Por isso, é mais fácil delegar esta tarefa a quem de direito. Conta uma lenda que quando Deus criou o mundo, precisava colocar a felicidade em algum lugar. Não poderia ser em qualquer local, mas um, onde o ser humano precisasse de algum esforço para conquistar. Afinal, a felicidade engloba a realização pessoal, o amor, a fraternidade etc. Pensou, pensou... e veio a grande idéia: Deus colocou a felicidade dentro do próprio ser humano. Assim, quando a pessoa olhasse para dentro de si, ela encontraria a felicidade. O que ocorre é que muitas pessoas procuram a felicidade fora, no outro, na empresa, no salário, na casa, enfim, em tudo que está fora dele. Como não encontra, fica com raiva, decepcionado, improdutivo, com inveja daqueles que a encontraram.

Tudo isso tem a ver com a motivação. A motivação é encontrar dentro de nós aquilo que nos trará a felicidade. Quando olhamos para dentro de nós e procuramos os motivos para sermos felizes, estamos construindo uma força capaz de atrair tudo que desejamos. Sejam coisas boas ou ruins. Todos nós somos dotados de uma força interna capaz de realizar nossos sonhos e desejos, desde que eles estejam diretamente aliados às atitudes. De nada adianta ficar somente orando, se não houver ação. Mais do que isso, é preciso que minhas ações estejam alinhadas com minha área de controle, ou seja, onde exatamente eu posso agir.

Há pessoas que passam a vida inteira reclamando dos outros, da vida, da falta de sorte, das oportunidades que são oferecidas somente aos outros. Apenas observam e sentem que o mundo só favorece aos outros. São vítimas do sistema.
Para fazer alguma diferença na própria vida, o primeiro passo é saber o que se quer, seja um bem material, um relacionamento afetivo ou social, o reconhecimento e a fama, a realização profissional etc. Listar todos estes desejos ou necessidades é uma maneira prática de colocar em planos de ações os pensamentos.

É preciso pensar, mas também, planejar e depois agir. Algo como encontrar seus motivos de sucesso, servir como um imã para atrair estes motivos (estar receptivo para que estes motivos aconteçam) e praticar a atitude positiva de realização destes motivos.

A fórmula é simples, mas sua execução depende de mudar velhas crenças e hábitos. Você está preparado(a) para isso? Como escreve Michael J. Losier, no livro “A Lei da Atração”: peça, acredite e receba. Eu complemento: olhe para si mesmo, acredite em seus sonhos e ponha em prática tudo aquilo que você acredita. Não tem mágica, muito menos sensacionalismo, apenas motivação, atitudes e o correto uso da lei da atração. Sucesso!


Rogerio Martins
Psicólogo, consultor e diretor da Persona Consultoria & Eventos.

fonte site:www.rh.com.br

terça-feira, 22 de abril de 2008

A Falta de Amor e Respeito nas Famílias


O abandono de bebês tem sido notícia recorrente na mídia nacional nos últimos meses. Geralmente são recém-nascidos, abandonados no lixo, em via pública, em pátios e terrrenos baldios, envolvidos em algum trapo.

Rio de Janeiro, 21 de março de 2007

O abandono de bebês tem sido notícia recorrente na mídia nacional nos últimos meses. Geralmente são recém-nascidos, abandonados no lixo, em via pública, em pátios e terrrenos baldios, envolvidos em algum trapo, colocados dentro de sacos plásticos e até mesmo um jogado na Lagoa da Pampulha em Minas Gerais e encontrado boiando e salvo por alguém que passava. Alguns são abandonados mortos. Outros são fetos ainda. A história de cada mãe que abandona seu bebê, que o rejeita e o expõe ao risco de morrer, ainda está para ser descrita. Não há dúvida, contudo que esses abandonos têm uma história, talvez diferentes, mas com pontos em comum: são mães que não querem seus filhos. Mas porque estas mães impõem aos seus bebês o risco de morrer? São eles apenas testemunhas inocentes silenciosas de um ato que não podemos aceitar - a rejeição. Mas precisam morrer? Seguramente existem muitas pessoas que amariam essas crianças. Que poderiam dar a elas carinho, afeto, aconchego e proporcionando assim a essas crianças um bom patrimônio afetivo para toda a vida. Mas se existem pessoas que não querem seus filhos, que preferem abandoná-los em situação de alto risco, em qualquer lugar, e se existem pessoas que querem essas crianças por que isso não acontece?


Há pouco tempo, estive, eu pediatra, em um programa da TVE, entre um desembargador e dois advogados de família, debatendo com os mediadores o abandono de bebês. Levantei a seguinte questão: por que essas mães não abandonam seus filhos na porta dos Juizados de Infância e da Juventude? Têm medo? De quê? De serem acusadas? De serem presas? Argumentei que caberia de imediato ao Juizado, acolher essas crianças e encaminhá-las para o atendimento à longa fila de pais que pretendem adotar. Mas as mães que rejeitam seus filhos preferem abandoná-los na via pública. Tem que haver uma razão. Pois no referido programa fui acusado de incentivar o abandono de bebês e querer ressuscitar a muito antiga e abandonada "roda dos expostos". Agora chega-nos a notícia de que a Itália, o ministro para assuntos da família quer que cada hospital do país tenha uma visão moderna da "roda dos enjeitados" A sala preparada para abandonos possui sensores eletrônicos, que detectam a presença da criança e ativam um alarme em 40 segundos. Alguns hospitais já têm cartazes com os dizeres "não abandone sua criança, deixe-a conosco". Imaginemos quantas vidas serão salvas e quantas crianças escaparão de crescer sem serem desejadas. Talvez seja a hora de os nosso Juizados da Infância pensarem no que podem fazer para que as mães decidam, sem medo e no anonimato, não abandonarem seus filhos nas ruas ou até matá-los, mas os deixarem com quem pode deles cuidar.

Lauro Monteiro
Editor
fonte site:www.observatoriodainfancia.com.br

segunda-feira, 21 de abril de 2008

TENHA UM BOM DIA


Um bom dia!

Jacqueline Lima

Cada dia que se inicia é uma nova oportunidade que se abre para você.

E você pode iniciá-lo da maneira que quiser, a responsabilidade de torná-lo especial é sua.

Parece impossível?

Mas não é! Pense um pouco...

Todos os dias quando você acorda, automaticamente programa como será o seu dia não é?

E o que você pensa? Procure se lembrar...

Por acaso você pensa: Hoje vai ser um dia difícil, cansativo e chato?

Ou você pensa: Hoje vai ser um dia como todos os outros... Apenas mais um dia.

E ao pensar assim como se sente?

Como se não tivesse solução para suas angustias? Sem perspectivas, sem possibilidades novas para sua vida? Como se as coisas dependessem dos outros, de seus superiores no trabalho, do seu companheiro (a) no seu relacionamento, dos outros motoristas no trânsito e por aí vai? Ás vezes se coloca a culpa até naquela pedra que você tropeçou (a culpa não é sua que anda distraído e não viu a pedra, claro que a culpa é da pedra que está na sua frente... rsrs).

Quebre esse padrão de pensamento e assuma a responsabilidade pela sua felicidade.

Você pode fazer sua vida ser melhor, só depende de como você encara os fatos e a postura que assume diante deles.

Quando você aprende que a felicidade é um estado de espírito e de compreensão da vida e não uma imposição externa, as coisas começam a se tornar mais claras e leves.

Duvida?

Não é nada mágico, como você pode estar pensando.

É o seguinte:

O segredo da felicidade consiste em você sentir-se bem consigo mesmo.

E daí você pode pensar: Mas como me sentir bem se tenho um monte de contas para pagar? Se não tenho um amor? Se não tenho dinheiro? Se não tenho um carro? Se não tenho... Infinitas coisas que você não tem...

Esse é o erro que a maioria das pessoas comete.

Acreditam que a felicidade virá de coisas que não tem. Vivem frustradas esperando encontrar aquilo que nem sabem ao certo o que é. Imaginam talvez, ou talvez nem isso... Vivem esperando que os outros façam por elas o que nem elas mesmas sabem o que querem que eles façam... Mas se você não tem clareza do que quer como vai procurar? É uma busca incessante atrás de algo que nunca vai encontrar, porque não sabe o que está procurando.

Em outros casos, as pessoas prendem-se a coisas vividas no passado, a erros cometidos e que não há como voltar atrás e deixa de viver momentos ou situações importantes e agradáveis, que talvez trouxessem grandezas incalculáveis à sua vida, sob a pena de ter que aprender uma lição, ou ter que ser castigado por coisas erradas que fez.

Bobagem! Esqueça tudo isso!

A vida é feita para se aprender. Encare sua vida como uma escola, como um caminho. A cada esquina você aprende uma coisa nova. A cada decepção, a cada erro, é uma nova experiência e uma nova fórmula. As coisas ruins só se repetem se você fugir delas. Por que se evita-las, estará perdendo a chance de reconhecê-las da próxima vez que surgirem a sua frente.

Se você encará-las, pensar friamente sobre o que você fez para que aquilo acontecesse e entender que as coisas só dependem da percepção que você cria e do valor que você atribui a elas, vai perceber o quanto seus problemas se tornarão mais leves e descobrirá que se a responsabilidade é sua, é mais fácil resolver, porque só depende de você, Entendeu a dinâmica da coisa?

Agindo assim não é que seus problemas não existirão mais, só que somente se tornaram um problema se você deixar, pois é você quem escolhe no que focar sua atenção. Você decide o que você quer para sua vida e o que você não quer mais. Você decide o que pode e o que não pode te ferir.

A dificuldade nisso é que às vezes, um padrão de pensamento está tão arraigado que você pode achar que tudo isso que está lendo é uma tolice, que não funciona, que não é tão simples assim e várias outras coisas que contradizem tudo o que você leu.

Mas então se dê a chance e experimente. E se não funcionar, o máximo que vai acontecer é continuar tudo do mesmo jeito que está e você continua no lucro...

Então anote uma sugestão:

Ao invés de pensar nas coisas que não gosta na sua vida, no seu trabalho, no seu relacionamento e etc., procure pensar nas coisas que você gosta!

Outra dica: Pare de pensar nas coisas que você não tem e agradeça de verdade pelas que você tem (qualquer coisa, sua respiração, por exemplo, existem pessoas que precisam de aparelho para respirar e são muito felizes). Foque-se nas coisas que quer para sua vida ao invés de lamentar pelo que ainda não conseguiu ou que não quer.

Vai ver como vai se sentir mais leve e a tranqüilidade vai voltar ao seu coração.

Viva um dia de cada vez e aproveite o dia de hoje para sorrir mais, para escrever algo de bom para alguém que considera especial, para se desculpar por ter magoado alguém.

Você pode pensar que não, mas fazer alguém sorrir é a mais pura felicidade que se pode ter.


Pense nisso!

Jacqueline Lima

É psicóloga, mestranda em Avaliação Psicológica

E-mail: jl_psicologia@yahoo.com.br

colunista do jornal Cajamar NEt
publicação autorizada pela autora.

sábado, 19 de abril de 2008

O poder da paciência


“Porque necessitais de paciência, para que, depois de haverdes feito a vontade de Deus, possais alcançar a promessa”. Hebreus 10:36

A Palavra de Deus promete que o homem paciente será perfeito e completo, e não lhe faltará coisa alguma. (Tiago 1:4). Um homem paciente é um homem poderoso, mesmo que as pessoas apresentem um comportamento difícil e desafiador ele se mantém amoroso e com bons pensamentos.
Sem paciência não podemos perseverar para vermos os resultados de nossa fé. Não recebemos nada após cremos imediatamente. Existe um período de espera no tocante a receber de Deus. É durante este período que nossa fé é testada e purificada. Só experimentaremos a alegria de vermos aquilo que cremos se perseverarmos e esperarmos pacientemente.
A paciência não é apenas a habilidade de se esperar, mas também a de se manter uma boa atitude enquanto se espera. Esperar é uma parte da vida que não pode ser ignorada. Vamos passar uma boa parte de nossas vidas esperando; se não aprendermos a fazer isto bem (pacientemente), seremos miseráveis. Deus é tão paciente conosco. E devemos imitá-lo.
Se encoraje a buscar efetivamente a paciência. Isto te levará para a dimensão do poder de Deus.

Ore assim:
“Senhor, me ajude a exercitar todo tipo de paciência, perseverança e longanimidade com alegria abundante (Colossenses 1:11). Em nome de Jesus, amém”.

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Não Desista da Sua meta!


Criar, inovar, crescer e vencer Algumas coisas precisam ser feitas melhor do que já foram feitas antes. Algumas simplesmente precisam ser feitas. Outras não precisam absolutamente ser feitas. Saiba qual é qual! Faça com que seu aperto de mão seja tão forte quanto um compromisso assinado. Gaste seu tempo e energia criando, e não criticando. Não adie pôr em prática uma boa idéia. É muito provável que outra pessoa esteja pensando a mesma coisa. O sucesso é de quem age primeiro! Lembre-se:Você foi feito para o sucesso, e jamais se sentirá bem enquanto não o alcançar. Para atingir o sucesso você precisa sonhar grande, pensar grande, ter metas audaciosas e ter convicção em tudo o que faz. Acredite: Você não é menos que ninguém. Por isso, pare de pensar em coisas negativas. Seja uma pessoa positiva e otimista. E não esqueça:As dificuldades são iguais para todos e alguém sempre vai vencer.Por isso, você deve sempre pensar e querer estar entre os vencedores. O sucesso nasce na mente. Pense e faça sucesso!

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Os sete pecados do capital NUMA EMPRESA


1. Falta de planejamento. O otimismo pode ser fatal. É preciso adequar a oferta à realidade do mercado e contar com problemas com fornecedores, manutenção e fontes de investimento, como bancos.

2. Má gestão financeira. Reflete-se, basicamente, na dificuldade de calcular preços e no descuido com o fluxo de caixa. Preço não é matéria-prima e mão-de-obra mais lucro. Encargos trabalhistas e impostos, por exemplo, não podem ser esquecidos.

3. Desatualização do produto. É preciso reavaliar constantemente as necessidades do mercado, pesquisar o que os clientes querem e o que a concorrência já mudou.

4. Descuido com o marketing. Às vezes o produto é muito bom, mas a fachada da loja não é atraente. Ou a loja é bonita mas ninguém sabe que a empresa existe.

5. Sobressaltos da conjuntura. Num país de instabilidade econômica, é preciso ter reservas para agüentar recessões, enfrentar perda de renda do consumidor e encarar altas dos juros.

6. Problemas pessoais. Empresas de estrutura enxuta podem ser abaladas por problemas com o dono ou com o chefe. Saúde e sucessão familiar merecem cuidado.

7. Desorganização. Um dos fatores que mais colaboram para a derrocada é misturar as contas pessoais com as da empresa.

terça-feira, 15 de abril de 2008

Como Ter um Aprendiz


Todo ano, mais de um milhão de brasileiros completam 16 anos e começam a buscar o seu espaço no mercado de trabalho. O Brasil tem mais de 61 milhões de crianças e jovens de até 17 anos. Embora a lei proíba o trabalho antes dos 16 anos, a não ser como aprendiz, a partir dos 14, em 2001, ainda havia no País mais de 2 milhões de meninos e meninas de 5 a 14 anos trabalhando, com prejuízo de sua saúde, escolaridade e futuro. (IBGE - PNAD 2001).

Mas a partir do momento em que os governos, as empresas, as escolas, as ongs e a sociedade assumem o papel de atores sociais, abrindo caminhos para a formação e a profissionalização dos jovens, eles se transformam em milhões de oportunidades de crescimento, de riqueza e de construção conjunta de um futuro melhor.

E para isso acontecer, basta cumprir a Lei do Aprendiz que explicitou disposições da Constituição Brasileira e do Estatuto da Criança e do jovem - ECA, e alterou a Consolidação das Leis Trabalhistas - CLT, de 1943, dando uma nova regulamentação à aprendizagem. Ao permitir a formação técnico-profissional de jovens entre 14 e 24 anos, dentro dos princípios da proteção integral, a legislação está comprometendo as empresas com a transformação social de jovens por meio da empregabilidade.

Como saber se sua empresa está dentro da lei?
APRENDIZAGEM ESTÁGIO
Legislação CLT - Decreto Lei nº 5.452/ 1943Lei nº 10.097, de 19 de dezembro de 2000 Lei nº 6494, de 7 de dezembro de 1977Decreto nº 87.497, de 18 de agosto de 1982Lei nº 8.859, de 23 de março de 1994Medida Provisória nº 2.164-41, de 24 de agosto de 2001
Vínculo Empregatício Sim Não
Obrigatoriedade As empresas médias e grandes são obrigadas, pela lei, a contratar um número de aprendizes equivalente a um mínimo de 5% e um máximo de 15% do total de funcionários, cujas funções demandem formação profissional. Não há
Instrumento Jurídico Contrato de Trabalho Especial para Aprendizagem que pode ser

entre a empresa e o aprendiz ou
entre a organização social e o aprendiz
Termo de Compromisso

Quem pode formar
A Lei do Aprendiz define a aprendizagem como o processo educacional e metódico, caracterizado por uma alternância entre atividades práticas (desenvolvidas nas empresas) e teóricas (desenvolvidas em instituições de ensino), dentro de um programa que tem começo, meio e fim).

A Lei exige que o aprendiz seja inscrito em um programa de aprendizagem que se faz em um “centro de formação”. Podem atuar como centros de formação:
- primordialmente uma entidade do Sistema S (Senai, Senac, Senar, Senat e Sescoop):,
- ou alternativamente uma escola técnica de educação;,
- ou uma entidade sem fins lucrativos que tenha estrutura adequada para desenvolvimento de programas de aprendizagem.

O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do jovem - CMDCA é o órgão que registra as organizações não-governamentais que tenham por objetivo atender crianças e jovens, bem como aprova os programas de aprendizagem oferecidos por estas.
A fiscalização da execução correta dos programas de aprendizagem é competência dos agentes de fiscalização do Ministério do Trabalho. Chegando ao conhecimento do Conselho Tutelar qualquer irregularidade, este deve comunicá-la ao Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do jovem -CMDCA e à Delegacia Regional do Trabalho.

Quem pode ser Aprendiz
Todo jovem que:

- tiver entre 14 a 24 anos;.
- estiver cursando o ensino fundamental ou ensino médio;
- estiver cursando ou inscrito em um curso de aprendizagem profissional, que poderá ser oferecido por um “centro de formação” ( entidade do Sistema “S” : Senai, Senac, Senar, Senat e Sescoop, uma escola técnica de educação ou ainda por uma organização não governamental que tenha registro e aprovação do seu programa no Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do jovem- CMDCA).

Vale lembrar que aprendizagem é diferente de estágio. Veja quais são as diferenças entre um aprendiz e um estagiário.

FONTE SITE: www.leidoaprendiz.org.br

consulte maiores informações neste site

Internet, o oásis dos tímidos


A ferramenta pode ser de grande valia para iniciar relacionamentos, mas não pode impedir exposições ao vivo.
Antigamente, o principal refúgio dos tímidos era a leitura e a escrita. Há muitos exemplos de comportamentos misantrópicos e excêntricos dentre os grandes nomes da história mundial, entre eles Beethoven e Arthur Schopenhauer. Essas personagens eram dotadas de um intelecto privilegiado, mas incapazes de manterem uma interação social satisfatória. Isolavam-se da sociedade para relacionar-se mais profundamente consigo mesmos, ou com possíveis admiradores, através da sua arte. O mundo ganhou muito com a sua introspecção mas, praticamente todos eles, no final de suas vidas, mostraram-se ressentidos com a vida solitária que levaram.

Na verdade, sofriam de déficit de habilidades sociais, ou seja, uma inabilidade em relacionar-se socialmente devido à excessiva ansiedade em relação ao próprio desempenho, que redunda em falta de assertividade, dificuldade de iniciar e manter conversações, de expor sua opinião e defender seus interesses verbalmente de modo satisfatório.

É um quadro gerado, principalmente, por uma educação muito rígida e punitiva que, geralmente, produz isolamento, forte sentimento de solidão e estado depressivo.
Há algumas décadas, além da arte, uma nova possibilidade tornou-se acessível para pessoas com essas características: a TV. Mais democrática e sem exigir nenhum talento especial para ser degustada, chegou a ser rotulada de imbecilizante, por provocar comportamentos passivos, que não requerem um mínimo esforço por parte do telespectador. Logo em seguida veio o videogame, uma forma de brincar que, como a TV, dispensava a companhia de outra pessoa.

E então surgiu, no final do século passado, a maravilha das maravilhas: a internet. Uma ferramenta que conjuga todas as alternativas anteriores e muito, muito mais. Com ela, até o mais anti-social dos indivíduos, além de ler, escrever, assistir e jogar, sozinho ou com amigos virtuais do mundo todo, pode também bater papo, estudar, trabalhar, comprar, vender, obter informações para resolver seus problemas do dia-a-dia, namorar e até fazer sexo virtual, sem se expor pessoalmente, quero dizer, sem se relacionar de verdade com ninguém!

Isso é bom ou ruim?

Por um lado é bom e pode até estimular um relacionamento pessoal. Para aqueles que têm dificuldade de iniciar uma abordagem cara-a-cara, começar a conhecer algumas pessoas mais devagarzinho através da net pode ser um bom início para, só depois, quando se sentirem mais seguros, partir para um contato real.

O problema é que muitas pessoas, agora que dispõem desse recurso tão vasto para preencher quase todas as necessidades de suas vidas, tendem a se isolar ainda mais do contato social ao vivo. Isso porque, quando não havia a internet, algumas atividades tinham que ser feitas pessoalmente, como ir ao supermercado, por exemplo. Despensa e geladeira vazias eram uma forma de pressão suficientemente forte para obrigar a pessoa a sair do isolamento e, pelo menos, ir às compras. Com a internet bastam poucos cliques e o supermercado está em sua porta.

O déficit de habilidades sociais tem tratamento e, na maioria dos casos, pode ser revertido em um espaço de tempo relativamente curto. A partir de um diagnóstico das necessidades do cliente, num primeiro momento ele é orientado para comportar-se socialmente de modo adequado, aprendendo a lidar com a angústia, a sensação de insegurança e a ansiedade que sempre acompanham essas situações. O objetivo desta fase da terapia é torná-lo uma pessoa sociável e capaz de ir em busca de seus sonhos/metas, obtendo autoconfiança e adquirindo uma auto-estima elevada. O passo seguinte e que pode ocorrer simultaneamente é levá-lo a conhecer-se melhor e tornar-se autônomo, capacitando-o para valer-se de sua própria criatividade e recursos internos para viver de modo mais pleno.

Sem um tratamento adequado, essas pessoas perdem a oportunidade de descobrir que suas dificuldades são as mesmas de todo ser humano porque todos nós, no fundo, temos medo do sofrimento em nossos relacionamentos. E a possibilidade de compartilhar talentos e defeitos é que faz com que nos sintamos aceitos, acolhidos e amados, sendo do jeito que somos.

Habilidade para se relacionar é construída sobre o alicerce da autoconfiança. Uma amizade profunda é construída a partir da capacidade de confiar no próprio julgamento e de se expor ao outro. São qualidades que todos nós somos capazes de desenvolver, aprendendo a discernir e escolher em quem queremos apostar para abrir nossos corações.

fonte site:http://minhavida.uol.com.br

segunda-feira, 14 de abril de 2008

Mudança de tempo, cuidados com as crianças!


Será que esse dodói vai mesmo passar?
Saiba reagir aos sintomas das doenças mais comuns da infância
Por mais saudável que seu filho seja, criança nenhuma está livre de adoecer de vez em quando. Nos primeiros anos de vida, o sistema imunológico ainda é frágil. O intenso contato com o mundo coisas como se arrastar pelo chão, pôr tudo na boca e não lavar as mãos com tanta freqüência aumenta as chances do filhote se contaminar com microorganismos.

Pequenos que vão à creche também costumam dividir com os amiguinhos seus germes. É absolutamente normal e pode apostar que trancar o bebê em casa e dar cinco banhos por dia faz mais mal do que deixá-lo solto para se sujar e brincar por aí.


Claro que cuidados com higiene são necessários, assim como manter uma alimentação saudável, praticar atividades divertidas, tomar banhos de sol, ser amamentado por no mínimo seis meses, dormir bem e ganhar muito carinho tudo isso reforça o sistema imunológico da criança e reduz as chances dela adoecer.


Mas, se seu bebê ficar dodói, fique tranqüila. A maioria das doenças da infância, como viroses e catapora, tem tratamento simples, passa logo e não deixa seqüelas. Outras, que podem terorigem na herança genética, exigem mais atenção, como alergias e problemas respiratórios.

As mais graves, ainda bem, podem ser prevenidas com vacinas. Para ajudar você a se preparar para esses momentos, Minha Vida conversou com o pediatra Gerson Coelho, do Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina. Aprenda agora como reconhecer os sintomas, prevenir e remediar as doenças. E lembre-se: a qualquer sinal de que há alguma coisa errada, consulte logo um médico. Só ele pode dar um diagnóstico preciso e recomendar os exames e remédios certos.

Alergias Existem substâncias no ar e nos alimentos que provocam reações alérgicas em determinadas pessoas. A alergia pode ser dermatológica (quando atinge a pele), respiratória (nariz e ouvidos), gastrointestinal (estômago e intestinos) ou ocular (olhos). Nariz escorrendo, falta de ar, vermelhidão, coceira e enjôo são alguns dos sintomas possíveis. Nem todos os tipos exigem exames de laboratório, mas é indispensável que o pediatra reconheça o tipo e a causa da alergia. Ele irá indicar com quais substâncias a criança deve evitar contato. Existem maneiras de diminuirmos as manifestações da doença, porém ainda não existe cura para alergias , explica o pediatra Gerson Coelho.

Bronquite
É uma inflamação nos brônquios, provocada por vírus ou bactérias, que normalmente aparece depois de um resfriado. A bronquite é caracterizada por muita tosse. No início seca, mais tarde ela vem acompanhada de catarro e febre. Xaropes não são recomendados. Analgésicos podem ser utilizados para aliviar a febre e o desconforto da criança. Para combater o incômodo da tosse, o pediatra Gerson Coelho recomenda que o bebê fique em posição semi-sentada, tome bastante líquido e tenha a alimentação fracionada. Se não apresentar complicações, a doença costuma desaparecer entre 7 e 10 dias , afirma.

Brotoeja A pele do bebê é muito sensível. Calor, abafamento e contato com alguns tecidos, como náilon ou lã, podem causar este probleminha, que provoca bolinhas vermelhas, que costumam coçar muito e arder. A brotoeja costuma aparecer nas dobrinhas onde o suor se acumula e no pescoço. A coceira pode deixar a criança irritada e com dificuldades para dormir. Para prevenir, mantenha o bebê em lugares arejados, com roupas de tecidos macios e leves. Se a brotoeja aparecer, use soluções como a calamina, encontrada em farmácias, para aliviar a coceira.

Coqueluche
É uma grave infecção da traquéia, bronquíolos e brônquios, causada por uma bactéria. Pode ser adquirida pelo bebê através do contato pessoas ou objetos contaminados. Por volta de dez dias após o contágio, surgem os sintomas: acessos de tosse, mal-estar, febre baixa, nariz entupido. A prevenção acontece através da vacina tríplice bacteriana. Os bebês pequenos são as maiores vítimas desta doença e devem ser internados , afirma o pediatra. Pode levar até três meses para curar.

Caxumba Trata-se de uma infecção por vírus das glândulas salivares, que ficam doloridas e visivelmente inchadas, deixando a criança mais bochechuda, às vezes de um lado só. Outros sintomas são dor-de- cabeça, fraqueza, febre e dor ao engolir. Evite alimentos secos, que ativam a produção de saliva e pioram a dor , orienta o pediatra. Se necessário, use analgésicos. A caxumba é transmitida pelo contato com a saliva de pessoas contaminadas. Se o bebê pegar a doença, evite o contato com pessoas não-imunizadas, ou seja, que nunca tiveram caxumba. A melhor prevenção é a vacina tríplice viral. Leva cerca de dez dias para curar.

Catapora Altamente contagiosa, a catapora é causada por um vírus, através de contato com a saliva (fala ou espirro) de uma pessoa infectada. Os sintomas são febre alta e manchas vermelhas, que vão se espalhando de cima para baixo. Rapidamente, as manchas viram pequenas bolhas e crostas, que coçam muito. O pediatra afirma que não se deve usar aspirina em hipótese alguma.

Para aliviar a coceira, use solução de calamina, à venda em farmácias. Existe vacina contra esta doença. Se seu bebê for contaminado, coloque roupas leves e evite contato com pessoas não-imunizadas, ou seja, que não tiveram catapora e não estão vacinadas. A criança deve ficar isolada até desaparecer a última lesão em formato de bolha. A doença costuma desaparecer em cerca de dez dias.

Desidratação Nos bebês, um sintoma evidente é o afundamento da moleira. Também a boca e lábios ficam ressecados, a criança sente muita sede e urina menos. A causa mais comum é infecção intestinal, causada por vírus, erros alimentares e alimentos preparados sem higiene adequada ou contaminados , afirma o pediatra Gerson.

O soro de reidratação (comprado pronto na farmácia ou feito em casa, com um copo de água filtrada e fervida, uma pitada de sal e duas colheres de chá de açúcar) deve ser tomado pelo bebê tão logo surjam esses sintomas. Ofereça a cada vez que ele evacuar ou sentir sede. A recuperação, em geral, leva cerca de dez horas.


Diarréia
Geralmente causada por infecções no estômago e intestino causadas por vírus ou bactéria. Podem também ser reação colateral de outras doenças. Se o bebê começa a evacuar com maior freqüência e suas fezes são semi-líquidas ou líquidas, provavelmente está com diarréia.

Como ele perde muito líquido, dê soro caseiro ao seu filho para prevenir a desidratação. Após cada evacuação, ofereça de 50 a 100 ml de soro (comprado pronto na farmácia ou feito em casa, com um copo de água filtrada e fervida, uma pitada de sal e duas colheres de chá de açúcar).

Dor de garganta
As dores acompanhadas de febre alta e mau-hálito costumam ser conseqüência de inflamações causadas por bactérias. Já as dores que vêm combinadas com sintomas de resfriado, tosse ou rouquidão são provocadas por vírus. Apenas o pediatra pode avaliar e indicar o tratamento correto para cada caso. Geralmente, quando a origem é bacteriana, é preciso tomar antibióticos.

Dor de ouvido (Otite) O ouvido pode inflamar por acúmulo de coriza, no caso de bebês gripados, ou por não ser secado direito após o banho. Os sintomas são muita dor no ouvido, podendo ser insuportável o toque na região em volta da orelha, e formação de gânglios (espécie de caroços) abaixo da mandíbula. O pediatra deve avaliar o bebê para indicar a medicação. Em casa, use compressas quentes e secas para aliviar a dor. Para tratar, devem ser usados analgésicos, assear o nariz e manter a criança com o tórax elevado , explica o pediatra. Não use cotonetes nem molhe constantemente os ouvidos do pequeno.

Febre
As crianças costumam apresentar febre como um sintoma de resposta a infecções. Todo bebê com menos de 3 meses de idade deve ser levado ao pediatra imediatamente se realmente estiver com febre (temperatura superior a 37,5°). A temperatura deve ser medida dez minutos após retirar as roupas do bebê e deixá-lo em ambiente fresco , orienta o pediatra. Os maiores de 3 meses devem correr ao médico se tiverem febre acima de 39,5°. A mãe pode usar antitérmico e dar banhos frios para baixar a temperatura. É necessário investigar a causa da febre.

Gripes e resfriados
Os resfriados costumam ser mais brandos, mas, em geral, as duas doenças apresentam sintomas parecidos: nariz vermelho e entupido, espirro, cansaço, às vezes febre. Esses sinais podem incomodar por apenas três dias ou até duas semanas. Provocadas por vírus, o contágio se dá através do contato direto com a saliva de pessoas contaminados.

Ninguém gripado ou resfriado deve se aproximar ou pegar o bebê no colo. Evite lugares fechados. Se o pequeno contrair a doença, dê a ele muita água, leite e líquidos. Para aliviar dores no corpinho ou febre muito alta, é recomendado o uso de analgésicos.

MicoseEsse problema acontece especialmente no verão. Trata-se de um mal causado por fungos, seres microscópicos que adoram ambientes quentes e úmidos e se alimentam de queratina, uma substância presente na pele. A micose pode se manifestar de diferentes maneiras, formando bolinhas de água, manchas ou descamações na pele.

Para prevenir, deixe todas as partes do corpo do bebê arejadas quando estiver calor, com a pele bem seca, e evite que ele toque em animais desconhecidos. Se houver micose, o pediatra recomendará medicamentos específicos.

Nariz entupido
Se o bebê estiver resfriado, gripado ou com outra inflamação nas vias respiratórias, provavelmente terá dificuldades para respirar pelo nariz. Para acabar com essa agonia, basta aplicar com conta-gotas nas narinas uma solução fisiológica infantil, à venda em farmácias sem necessidade de receita. Em seguida, retire a secreção empurrando a base do narizinho para baixo com os dedos.

Refluxo O refluxo torna-se problema quando ocorre com muita freqüência. Casos em que o bebê regurgita o leite junto com líquidos gástricos muitas vezes e, por isso, ganha menos peso do que deveria, ou até perde peso, são caracterizados como doença.

Cada caso deve ser avaliado para que o pediatra decida o tipo de tratamento, que pode ser feito com medicamentos que diminuem a produção de ácidos pelo estômago e outros que aceleram o esvaziamento do estômago , explica o pediatra. Colocar o bebê para dormir com a cabeça mais alta do que o tronco (elevando a cabeceira do berço com um tijolo sob os pés, por exemplo) pode ajudar.

Rotavírus
A doença leva o nome do seu causador, um vírus responsável por inflamações graves no intestino e estômago. Seus principais sintomas são febre, diarréia e vômito. O contágio ocorre através do contato com secreções da via respiratória (saliva, através da fala, espirro) de pessoas contaminadas. Para prevenir, siga o calendário básico de vacinas, que inclui as doses contra o rotavírus.

Se o pediatra diagnosticar a doença, através de um exame de fezes, ele deverá ser muito hidratado, tomando líquidos e soro caseiro. Em casos mais graves, pode demorar até dez dias para curar. É fundamental isolar a criança infectada para evitar a disseminação da doença , afirma o pediatra.

Rubéola
É uma das doenças mais leves que o bebê pode contrair. É causada por vírus e o contágio ocorre através do contato com a saliva de crianças ou adultos contaminados. Os sintomas que apresenta são aparecimento de gânglios, dor-de-cabeça, febre, coriza e manchas avermelhadas que se espalham pelo corpo todo. Um exame de sangue confirma se o bebê contraiu ou não rubéola. Para prevenir existe vacina, que deve ser tomada aos 12 meses de idade. É permitido o uso de antitérmicos para baixar a febre.

Sapinho
É uma infecção bucal causada por um fungo, muito comum em bebês antes dos seis meses de idade. É contraído através do contato com o fungo presente em algumas partes do corpo do adulto ou do contato com crianças e objetos contaminados. Provoca manchinhas brancas, como aftas, que cobrem a língua e o interior da bochecha, mas não causam dor. O tratamento leva dez dias exige o uso de medicamentos específicos para combater esse fungo, que devem ser receitados pelo pediatra. As manchas desaparecem em dois ou três dias.

Sarampo Está entre as mais contagiosas doenças da infância. Dificilmente é contraída por bebês de até seis meses, fase em que ainda estão protegidos pelos anticorpos herdados da mãe. Transmitida pela saliva de pessoas contaminadas, seu diagnóstico exige exame de sangue.

Os principais sintomas são febre alta, olhos vermelhos, secreção nasal e manchas avermelhadas pelo corpo. A melhor maneira de prevenir que seu filho contraia a doença é aplicando a vacina tríplice viral, aos 12 meses de idade. A criança contaminada deve permanecer isolada até cinco dias após o início das manchas , alerta o pediatra Gerson Coelho.

Verminoses As crianças podem sofrer de verminoses com relativa freqüência. É possível se contaminar por via oral (quando ela coloca as mãos na terra contaminada e depois leva à boca, se tem contato com fezes de gatos e cachorros ou ingere alimentos mal lavados), ou pela pele (através do contato com areia ou terra contaminada ou via mosquitos que transmitem doenças).

Os sintomas são dor abdominal, vômito, diarréia, emagrecimento, anemia, falta de apetite e eliminação de vermes pelas fezes. Para confirmar se a criança está infectada, o pediatra solicitará um exame parasitológico de fezes. Evite as verminoses mantendo as unhas do pequeno curtinhas e seus brinquedos limpos; ofereça apenas alimentos bem-lavados e cozidos; ensine a lavar as mãos com freqüência; cuide bem dos animais de estimação e enterre as fezes deles.

Viroses
São doenças causadas por vírus, com sintomas bem variados, que aparecem do nada e também costumam ir embora de repente. Por não haver sintomas característicos, é difícil o médico identificar qual vírus exatamente está causando o problema.

Febre é o sinal mais comum. Quando apresentam outros sintomas, facilita para o médico saber qual o provável vírus , explica o pediatra. Se for mesmo uma infecção viral, a febre se resolverá espontaneamente em até quatro dias. O recomendado é apenas tratar os sintomas com analgésicos e antitérmicos.

Vômitos Assim como a diarréia, os vômitos devem preocupar quando acontecem com tal freqüência que o crescimento e desenvolvimento do bebê fiquem comprometidos. Seu bebê pode vomitar porque o aparelho digestivo ainda não está maduro, por causa de outra doença, ou porque mamou demais.

Caso se torne um problema crônico, o pediatra deverá avaliar se não há algum problema mais sério, como má-formação do tubo digestivo. Se a criança vomitar, aguarde 30 minutos para voltar a lhe oferecer comida.

matéria do site:minhavida.uol.com.br

domingo, 13 de abril de 2008

Confira, a seguir, a evolução da TV.(Voce tambem mudou?)


Veja as datas:
1950 – No dia 18 de setembro é inaugurada a televisão no Brasil, trazida por Assis Chateaubriand. Com o lançamento da TV Tupi, o Brasil foi o quarto país a ter uma emissora de televisão.
1950 – Chateaubriand importou 200 aparelhos e os colocou em praças públicas, padarias, museus e outros lugares estratégicos. Os primeiros modelos domésticos começaram a ser vendidos no Brasil.
1950 – Apresentado o primeiro controle remoto (com fio).
1954 – Surge o primeiro modelo semi-portátil com fabricação nacional. Era feito em São Paulo pela ERGA. Era feita de madeira.
1955 – Já são mais de mil TVs vendidas no Brasil.
1956 – Brasil registra 1,5 milhões de telespectadores no mesmo ano em que é criado o controle remoto que dispensa fios.
1963 – É feita a primeira transmissão experimental em cores no País.
1970 – 25% dos lares brasileiros já têm TV. A Copa do Mundo é transmitida – ao vivo, via satélite.
1972 – É feita a primeira transmissão oficial em cores no País. A responsável pela façanha foi a TV Difusora de Porto Alegre, em março. Era a inauguração da Festa da Uva, em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul.
1974 – A mudança das televisões preta e branca para as em cores ganha força.
1980 – Surgem as primeiras televisões “portáteis” – leves o suficiente para serem carregadas e ligadas nos mais variados locais.
1980 – Popularização do controle remoto.
1982 - Chegada dos vídeos cassetes.
1987 – Surgem os modelos de TV estéreo. A Rede Manchete fez a primeira transmissão experimental.
1992 – Primeira tela de plasma “full color” é apresentada ao mundo.
1996 – O mundo chega a marca de 1 bilhão de aparelhos televisivos.
1997 – Pioneer lança primeiras televisões de plasma no mundo.
2000 – TVs de plasma começam a ser vendidas no mercado brasileiro.
2005 – Telas com tecnologia LCD de 40 e 45 polegadas são oferecidas ao mercado.
2006 – Cai muito o custo das TVs de plasma e LCD.
2006 – Definido padrão de TV Digital no Brasil: o padrão japonês foi escolhido

isto mostra a necessidade de mudança de vida de tudo, equipamentos, tecnologia, nós seres humanos tambem temos de acompanhar estas mudanças, pois faz parte da nossa vida.Tudo para uma vida melhor com qualidade.
Nós tambem mudamos é temos de mudar para melhor.

sexta-feira, 11 de abril de 2008

Não se desmotive pela influência dos outros


E ASSIM ELA VOA

"Foi estabelecido cientificamente que a mamangava não pode voar. Sua cabeça é grande demais e suas asas pequenas demais para sustentar o corpo. Segundo as leis da aerodinâmica, ela simplesmente não poderia voar. Mas ninguém disse isso à mamangava. E assim ela voa."

(Autor desconhecido)

quinta-feira, 10 de abril de 2008

concurso" REVELANDO OS BRASIS"


Inscrições prorrogadas até 15 de abril
27/3/2008

O prazo de inscrições para o Concurso de Histórias do Revelando os Brasis Ano III foi ampliado até o dia 15 de abril. O projeto tem como objetivo viabilizar a produção de vídeos digitais nas pequenas cidades brasileiras. Para participar, é preciso ter mais de 18 anos e ser morador de município com até 20 mil habitantes. As 40 histórias selecionadas serão transformadas em vídeos com duração de 15 minutos pelos seus autores.
O regulamento e a ficha de inscrição estão disponíveis no site www.revelandoosbrasis.com.br e nas agências e postos de atendimento do Banco do Nordeste. Mais informações e solicitação de fichas de inscrição no Instituto Marlin Azul pelo telefone (27) 3327-2751 ou através do e-mail revelandoosbrasis@gmail.com.Podem ser inscritas histórias reais (baseadas em fatos históricos, personagens e tradições populares) ou de ficção. Os autores selecionados participarão de oficinas preparatórias de roteiro, direção, produção, operação de câmera, edição, no Rio de Janeiro, com todas as despesas pagas pelo projeto. Na etapa seguinte, eles contarão com o apoio da estrutura de produção do Revelando os Brasis para realizar os vídeos.

quarta-feira, 9 de abril de 2008

EVENTOS DA APAE DE CAIEIRAS SP


Nos do Projeto viver vida, pensamos que podemos nos unir em prol de ajudar outras instituições em parceria para divulgação de eventos solidários.
Neste espaço estamos divulgando o evento da APAE DE CAIEIRAS SP.
Atenção Região de PERUS,FRANCO DA ROCHA,E IMEDIAÇÕES, abaixo os eventos de abril da APAE DE CAIEIRAS.
BAZAR BENEFICENTE
Dia: 12 de abril (sábado)
Horário: Das 10 às 14 h

Local: EMEMI Antonio Furlaneto
Endereço: R: Ibiúna, 100 – Jd. dos Eucaliptos
Roupas, Calçados, Brinquedos e Utensílios Domésticos Semi-novos!


CHÁ BENEFICENTE DA APAE CAIEIRAS
Amigos da APAE
A APAE realizará um Chá Beneficente
Dia: 16 de abril (quarta-feira)
Horário: 14 h
Local: SERC – Caieiras
(Rua Dr. Armando Pinto, 100 – Centro)

1º Prêmio: 1 Bicicleta com marcha
2º Prêmio: R$ 80,00 (oitenta reais)

Valor do convite R$ 5,00

(Com direito a um prato com doces e salgados e chá a vontade)

Convites a venda na APAE 4605-5180 / 4605-2342

terça-feira, 8 de abril de 2008

Planejamento estratégico para a captação de recursos


Andrea Goldschmidt

Divulgação


A estruturação de um plano estratégico para captação de recursos é, atualmente, um dos maiores desafios das organizações sem fins lucrativos brasileiras. A maior parte dos empreendimentos sociais surge dos ideais de um empreendedor que, notando uma necessidade em uma determinada comunidade, cria um projeto social que resolva ou, pelo menos, minimize aquele problema.

Imagine só, com tantos problemas que existem no Brasil, como é difícil escolher uma única causa social que o motive o suficiente para resolver lutar por ela de forma voluntária!

Quando esta decisão é tomada, é natural imaginar, que o empreendedor esteja muito envolvido com este tema e que acredite que sua ação pode fazer uma grande diferença para aquela comunidade.

Se ele está tão convencido disso, é natural pensar que não deve ser difícil motivar outras pessoas a se envolverem com a mesma causa e encontrar parceiros que estejam interessados em apoiar este projeto (e, acredite, realmente não é!). Então a captação de recursos deveria ser uma coisa super simples, quase uma conseqüência natural da estruturação de um projeto social.

Por que, então, as organizações têm tanta dificuldade em captar os recursos necessários à realização das suas atividades?

Como tornar a captação de recursos uma atividade simples

Quem não se lembra da história da “Alice no País das Maravilhas” que, quando se viu perdida numa encruzilhada, perguntou para o coelho que estrada deveria tomar? O coelho quis saber para onde ela queria ir e ela disse que não sabia. A resposta natural do coelho foi: “Então, qualquer estrada serve!”

Na captação de recursos, vale o mesmo princípio. Se não sabemos onde queremos chegar, será difícil decidirmos quem são os parceiros mais adequados, que métodos de captação serão mais eficientes, etc.
Por isso, a forma mais segura de tornar a captação de recursos uma atividade simples é fazer um planejamento estratégico do seu projeto social.

Como fazer o planejamento estratégico do seu projeto social?

Basicamente, o planejamento estratégico é um levantamento organizado de informações que ajudará a definir os caminhos a serem seguidos. O ideal é que a organização comece pelo detalhamento do seu projeto social respondendo às seguintes questões:

Qual é o problema social que o projeto objetiva combater?
Qual é o “mercado” no qual estamos inseridos? Que outras organizações dedicam-se à mesma causa?
Quais são os objetivos específicos deste projeto?
Quais são as metas que desejamos atingir para cada um dos objetivos específicos?
Que estratégias foram escolhidas para atingir as metas? Isto é, qual o método escolhido para realização do trabalho?
Que atividades são necessárias para colocar em prática a estratégia escolhida?
Quais são os recursos necessários para a realização de cada uma destas atividades?
Onde podemos buscar estes recursos?
À medida que o plano vai sendo detalhado, fica mais fácil perceber onde estão as oportunidades de captação de recursos, quem são os parceiros mais adequados para cada uma das necessidades que a organização tem, quem são as pessoas mais adequadas para apresentar o projeto para cada um dos potenciais parceiros, em que época devemos iniciar a captação, etc.

O planejamento estratégico deve ser feito anualmente. Esta será uma ótima oportunidade para avaliar o que a organização conseguiu realizar naquele ano, o que mudou no mercado, que caminhos deram melhores resultados e que caminhos não levaram a lugar nenhum.

A revisão anual do plano é uma ferramenta de grande utilidade para a avaliação das estratégias escolhidas para captação de recursos.

O primeiro passo

É difícil dar o primeiro passo. A maior parte dos empreendedores sociais tem uma tendência natural de concentrarem seus esforços na prestação de serviços e acabam não conseguindo dedicar-se às tarefas administrativas que, normalmente, são vistas como “chatas”.

Além disso, todos sabemos que as organizações sem fins lucrativos não têm uma estrutura administrativa grande e, desta forma, estamos sempre sobrecarregados com as atividades do dia-a-dia.

É natural que os gestores tenham muita dificuldade de dedicar alguns dias para discutir com a equipe os rumos que o projeto deve tomar (e isso realmente toma vários dias!).

Isso faz com que o planejamento estratégico muitas vezes seja visto como “perda de tempo” e que acabe sendo prorrogado e esquecido.

Mas imagine quanto tempo a Alice poderia gastar experimentando vários caminhos diferentes sem saber direito para onde queria ir. E quantos recursos seriam desperdiçados nestas tentativas...

É a mesma coisa que acontece com tantos bons projetos: por não saberem direito que objetivos têm, que estratégias de atuação são mais adequadas, desperdiçam recursos fazendo várias tentativas diferentes e, como conseqüência, acabam desmotivando seus parceiros que não conseguem ver com clareza como os recursos que doam para sua organização estão sendo revertidos em benefícios para a comunidade e para a solução de um problema no qual eles também acreditam e no qual querem investir.

Doar dinheiro é bom. Muitas pessoas e muitas empresas querem ter este prazer, mas cada vez mais, os parceiros se preocupam com o retorno que este investimento terá para a comunidade e querem doar os recursos para organizações que consigam provar que o utilizam da maneira mais eficiente.

Lembre-se que existem cerca de 220.000 organizações sem fins lucrativos no Brasil e que, de certa forma, estamos concorrendo com outras organizações na busca de recursos. Quem for mais eficiente, tem maior probabilidade de ter parceiros mais fiéis!

Alguns dias de planejamento estratégico podem fazer muita diferença neste processo e, acredite, além de facilitar muito a captação de recursos e a manutenção de parceiros estratégicos, também trará para você e para a sua equipe uma satisfação maior no trabalho quando puderem saber como cada uma das atividades que vocês desenvolvem no dia-a-dia está contribuindo para o atingimento das metas estipuladas.

dados do site
www.responsabilidadesocial.com

Projeto Parado Falta de Apoio e Patrocinio

Esse projeto social infelizmente esta parado por falta de apoio financeiro, patrocínio, investimento. Temos uma idéia de aplicação porem nad...