domingo, 27 de abril de 2008

TUBERCULOSE É UMA DOENÇA ANTIGA, MAS QUE TEM CURA!

VAMOS INFORMAR MUITO A POPULAÇÃO, VAMOS PREVENIR SEMPRE
Um aliado importante para a identificação precoce
da doença é a informação.

Tosse prolongada por mais de três semanas é o principal sintoma da presença de tuberculose. Essa mensagem constará dos materiais informativos que serão divulgados durante a Semana de Intensificação e Controle da Tuberculose, que acontece de 24 a 28 de março. A Coordenação de Vigilância em Saúde (COVISA) é o órgão da Secretaria Municipal da Saúde responsável pelas ações de intensificação, que objetiva identificar os casos suspeitos da doença no município.

- Realização de palestras nas salas de espera das Unidades de Saúde, empresas, escolas e outros;

- Programa Saúde da Família (PSF): os agentes comunitários de saúde durante as visitas domiciliares darão especial atenção na identificação de busca de suspeitos de tuberculose.

Doença tem cura
O preconceito ainda ronda a tuberculose e os portadores da doença ainda sofrem discriminação. Embora antiga, a tuberculose é uma doença que tem cura, apesar do adoecimento de milhares de pessoas nos dias atuais.


Quanto mais cedo for identificada a doença, e instalado o tratamento adequado, menor a possibilidade de infectar outras pessoas. A tuberculose se agrava quando as pessoas não procuram o serviço de saúde para saber o motivo de um dos principais sintomas, que é a tosse. A informação correta é uma das formas de prevenção.

A doença atinge basicamente a população adulta, das classes C e D, preferencialmente aquela parcela que vive sob más condições de moradia, de nutrição e de vida em geral. De acordo com as estatísticas, o doente de tuberculose encontra-se na faixa etária considerada produtiva, isto é, de 20 a 50 anos de idade.

Tratamento Gratuito
O tratamento da tuberculose é realizado, gratuitamente, nas Unidades Básicas de Saúde, com acompanhamento supervisionado: o paciente comparece à unidade de saúde, diariamente, para tomar sua medicação, sempre observado por um profissional de saúde, por um período mínimo de seis meses.


O tratamento supervisionado ocorre como forma de garantir que não haja abandono do tratamento pelo paciente, pois a medicação precisa ser contínua, não podendo ser interrompida, o que ocorre quando o doente melhora dos sintomas e desiste do tratamento e do acompanhamento médico, permitindo assim, que o bacilo fique resistente aos remédios.


Dados estatísticos da doença
Situação da doença no mundo:

1/3 da população mundial está infectada pelo bacilo da TB (100 milhões por ano)
8 milhões de doentes a cada ano (22 mil por dia)
2 milhões de mortes por ano (350 mil por TB/HIV)
1 morte a cada 15 segundos
80% dos casos em 22 países (Brasil ocupa o16º lugar)

Fonte: Ministério da Saúde, fev.2008

Situação da doença no Brasil:

80 mil casos novos de TB notificados por ano

Estimativa de 96.000 casos (OMS, 2007)

5 mil mortes por ano

70% dos casos estão em 315 dos 5.570 municípios brasileiros

A maioria dos doentes está nas capitais e regiões metropolitanas dos grandes municípios.

Fonte: Ministério da Saúde, fev.2008

Situação da doença na Cidade de São Paulo:

6.000 casos novos/ano notificados*

Óbitos - constata-se uma queda de 51% em número:

1996 - 648 óbitos

2006 – 317 óbitos**.



Fonte*: CCD/EPITB, novembro, 2007

Fonte**: PROAIM/TABNET, acesso novembro, 2007

SAIBA MAIS SOBRE A TUBERCULOSE (TB)


1- Qual o principal sintoma da TB?

O principal sintoma é a tosse prolongada por mais de três semanas, com ou sem catarro, que ocorre em quase todos os doentes com tuberculose pulmonar. A confirmação é feita através do exame do catarro, que detecta a presença do bacilo da TB.


2- O que fazer quando o resultado do exame der positivo?


O paciente é convocado a comparecer à unidade básica de saúde para iniciar imediatamente o tratamento da tuberculose, que é gratuito, dentro do Sistema Único de Saúde - SUS. O tratamento consta de acompanhamento médico mensal, realização de exames e fornecimento dos medicamentos.


3- Quando a pessoa demora a fazer o exame e o diagnóstico é tardio, ela corre o risco de morrer de TB?


Sim, porque quando o diagnóstico é tardio, a doença se agrava tornando o tratamento mais difícil e deixando seqüelas irreversíveis. Quanto maior for a gravidade e as seqüelas, maior o risco de morte. Mais de dois milhões de doentes morrem de tuberculose por ano em todo o mundo.

4- Por que as pessoas abandonam o tratamento?


Um dos principais motivos é que após iniciar o tratamento, o doente melhora dos sintomas e acredita estar curado, interrompendo a medicação e o acompanhamento médico.


5- O que acontece quando o tratamento é abandonado?


Os medicamentos vão eliminando os bacilos existentes no organismo, primeiro de forma rápida e depois paulatinamente, necessitando de pelo menos 6 meses para completar o tratamento. Os bacilos que não foram eliminados, devido a interrupção dos medicamentos, podem voltar a se multiplicar no organismo e manifestar novamente a doença, e muitas vezes na forma resistente, não respondendo mais aos medicamentos tradicionais.

6- Como se dá o contágio?

Da pessoa doente de tuberculose pulmonar para outra pessoa, através das gotículas expelidas pela tosse, fala e espirro. Pessoas que convivem com o doente de TB, principalmente no domicílio ou no local de trabalho, especialmente em ambientes fechados e sem ventilação, são as que têm mais chances de contágio.

fonte site

Nenhum comentário:

loja AJUDA PETS é o link https://ajudapets.loja2.com.br/

essa loja foi desenvolvida pela empresa Vendendo com Arte para poder arrecadar fundos para algumas ongs e protetores de animais, sendo que p...