sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Intercâmbio para o consumo consciente

Brasília ganha rede que facilitará a compra de produtos naturais, com uma proposta de comércio solidário

Comércio igualitário, baixo impacto ambiental e responsabilidade social. São esses os princípios da Rede Selo-Sol de Consumo Consciente, uma alternativa de acesso ao mercado em condições mais justas e ecológicas de comercialização, que será lançada oficialmente em Brasília neste mês, durante o Festival da Cultura Consciente Puroritmo.

A iniciativa, que funciona em ambiente eletrônico, surge com a proposta de formar uma rede de consumo sustentável no Distrito Federal, com a disponibilização de produtos com qualidade ecológica e garantia participativa. Isso significa dizer que os próprios consumidores, as organizações especializadas e os produtores estabelecerão os critérios que regerão a manutenção da qualidade dos produtos a serem apresentados no portal.

“A rede será organizada por meio de ferramenta de interação em que os consumidores encontrarão os produtos ecológicos mais próximos de sua localidade e os contatos para a aquisição direta do produto”, explica Rafael Poubel, permacultor mestre em desenvolvimento sustentável e um dos idealizadores e coordenadores do site.

Ainda em fase inicial, o projeto criado pelo Instituto de Permacultura Ipoema é articulado em parceria com órgãos de agricultura locais e federais, e já conta com 20 produtores e agroextrativistas do cerrado inscritos e o cadastro de mais de dois mil consumidores. A expectativa é, de até o final do ano, operar o sistema com três mil consumidores e 30 produtores orgânicos e ecológicos.

Além de socialmente responsável, para Poupel, essa proposta de comércio também é economicamente viável. “Os produtos comprados diretamente do produtor são muitas vezes mais baratos até mesmo do que alguns produtos convencionais e ainda possuem baixo custo ambiental, fator altamente relevante e ainda negligenciado nos cálculos econômicos”, defende. Mais. Segundo ele, as redes de consumo consciente podem trazer nova autonomia e organização local, para que a agricultura familiar, tão representativa em comunidades brasileiras, seja mais valorizada. Hoje os produtos mais procurados no site são os in natura, como os hortifrutigranjeiros.

“No que diz respeito à alimentação, o movimento do consumo consciente no DF é um dos mais expressivos do país. São diversos restaurantes naturais e feiras orgânicas espalhadas na capital, contudo, a organização de redes de consumidores ainda é incipiente no Brasil”, avalia. Para ele, o portal será uma ferramenta importante para essa prática, pois alia praticidade, educação e responsabilidade social.

“A Rede Selo-Sol está em busca de novos parceiros para que tenha condições de ser replicada em outras regiões bem como de ser utilizada como ferramenta para políticas públicas de sustentabilidade alimentar e nutricional”, fala. Os consumidores e produtores que quiserem fazer parte da rede podem se cadastrar no site www.puroritmo.org.br.

Consciência em festa verde
Em sua 10º edição, o Festival da Cultura Consciente Puroritmo, ocorre nos dias 9 e 10 de agosto, no Jardim Botânico de Brasília, com ações sustentáveis em todas as áreas infra-estruturais do festival. Os estandes, espaços para oficinas e apresentações artísticas serão prioritariamente construídos com materiais de baixo impacto ambiental, como o bambu, eucalipto de reflorestamento, entre outros. A geração de energia será provida por geradores movidos a biodiesel e haverá também a utilização de placas solares demonstrativas. Para locomoção do público, o festival contará com ônibus movido a biodisel, que fará o traslado da rodoviária do Plano Piloto ao local do evento. Serão, ainda, incentivados o transporte solidário e o uso de bicicletas.

Entre as atrações, destaques para shows musicais, fóruns, oficinas, palestras, mostras de cinema ambiental, circo, teatro de mamulengos e artistas plásticos. A proposta do evento é valorizar um estilo de vida saudável, com o fornecimento de alimentação orgânica e sem o consumo de bebidas alcoólicas, cigarros ou quaisquer outros artifícios nocivos à saúde e ao comportamento social.

Paralelo às atividades do festival, o público poderá visitar a “Feira de Produtos do Cerrado”, com alimentos orgânicos, artesanato, literatura, acessórios, produtos e demais serviços que tenha a sua origem e confecção baseadas na valorização do cerrado, na conservação ambiental e no comércio justo.

Haverá, ainda, uma oficina para disseminar o consumo consciente com a cooperativa Trilha Mundos, o Ipoema e a Associação dos Trabalhadores do Ministério do Meio Ambiente (Amma). As três instituições criaram o Sistema Econômico Local Solidário – Selo Sol para promover a troca de bens e serviços sem o uso do dinheiro, com alternativas para a economia formal e relações diretas entre consumidores e produtores. A oficina será ministrada pela idealizadora e diretora da Trilha Mundos, Cláudia Sachetto; pela presidente da Amma, Dora Sugimoto; e pela antropóloga e coordenadora do Selo Sol, Naraina Melo.



Cynthia Ribeiro

Entre em Contato


Rede Selo-Sol
Site: www.ipoema.org.br e www.puroritmo.org.br
Tel.: (61) 8117-8356

Nenhum comentário:

Projeto Parado Falta de Apoio e Patrocinio

Esse projeto social infelizmente esta parado por falta de apoio financeiro, patrocínio, investimento. Temos uma idéia de aplicação porem nad...