Mostrando postagens com marcador campanhas educativas. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador campanhas educativas. Mostrar todas as postagens

sábado, 18 de julho de 2009

Video sobre a campanha - Saco é um SAco

Campanha : SACO É UM SACO




Com esse lema, o Ministério do Meio Ambiente lança campanha para consumo consciente de sacolas plásticas, que já atingem a marca alarmante de 12 bilhões por ano no país
- A A +Manoella Oliveira
Planeta Sustentável - 22/06/2009

Todo mundo sabe que as sacolinhas de supermercados são um grande problema ambiental. Depois que o consumidor chega em casa e organiza suas compras nos devidos lugares, elas viram um amontoado de material desnecessário e de destino incerto. Por isso, o MMA - Ministério do Meio Ambiente - lança, amanhã, 23 de junho, a campanha “Saco é um saco: Pra cidade, pro planeta, pro futuro e pra você”.

A iniciativa será veiculada na televisão e cinema (com dois filmes de curta duração - de junho a dezembro -, que também ficarão disponíveis também no You Tube), internet, rádio, jornal e revistas, além de fazer uso de marketing viral e prever a distribuição de folhetos. A campanha foi dividida em quatro fases e inclui avaliação final.


O plástico leva cerca de 400 anos para se decompor nos aterros sanitários ou nos lixões e o uso de material descartável em excesso resulta no acúmulo de lixo que vai parar nos bueiros, nos rios e nos mares, matando animais, demandando altos investimentos do governo para limpar essa bagunça e piorando a qualidade de vida das pessoas.

São distribuídas, no mundo, entre 500 bilhões e um trilhão de sacolas plásticas por ano. Um produto que têm custo zero para o cliente, mas requer injeções de recursos para solucionar as complicações que elas causam a longo prazo.

Por que as pessoas insistem, afinal de contas, em fazer uso das sacolinhas? Uma das causas, de acordo com o Ministério é uma característica da sociedade brasileira: o reuso para o acondicionamento de lixo, que acontece em todas as classes sociais. Introduzidas na década de 1980, elas causaram uma revolução na coleta de lixo, principalmente para as populações de classe baixa, que não compravam – e ainda não tem o costume de comprar - sacos de lixo por causa do preço.

Esse é um dos aspectos que a campanha abarca para pregar que, enquanto menos de 10% dos municípios brasileiros contam com sistemas de coleta seletiva, ainda não é possível falar em abolir as sacolas plásticas. A iniciativa situa o problema no âmbito do consumo consciente e vai investir em parcerias com estabelecimentos e material de divulgação.

O consumo sustentável é a abordagem principal do Processo de Marrakech, um programa do PNUMA - Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente - que incentiva os países participantes a realizar ações de mudanças na produção e no consumo. O Brasil aderiu ao Processo em 2003 e se comprometeu a fazer dele uma diretriz do MMA.

ALTERNATIVAS
Em 2007, o Ministério fez um levantamento sobre o tema e descobriu que o melhor a ser feito é reduzir o consumo, desenvolver alternativas tecnológicas e reforçar as campanhas de conscientização. Por isso, em 2008, criou a campanha “Consumo Consciente de Embalagens: A escolha é sua. O planeta é nosso”, lançada em 2008, que versa sobre embalagens em geral e divulga boas práticas.

Muitas pessoas ainda acreditam que a solução está na reciclagem, mas como as sacolas são descartadas incorretamente, geralmente misturadas a outros resíduos, elas ficam contaminados e inviabilizam o processo. Além disso, o problema do excesso persiste. São 800 sacolas por ano para cada brasileiro enquanto existem várias alternativas como as bolsas de feira, as sacolas retornáveis e os carrinhos. A ideia é recusar, sempre que possível, as sacolinhas que já se tornaram vilãs internacionais e já são encontradas até mesmo em locais considerados paraísos ecológicos.

Outras opções vêm sendo estudadas pelo MMA, como os oxi-biodegradáveis e dos chamados bioplásticos. Os primeiros, segundo o Ministério, não resolvem por si só os problemas ambientais causados pelas sacolas plásticas descartadas como lixo ou como recipiente para o lixo. Além disso, o fato de ser biodegradável pode levar à sociedade a pensar que o material irá se decompor naturalmente, o que incentivaria o descarte irresponsável.

O plástico oxi-biodegradável é que, sob certas condições de luz e calor, se fragmenta e torna o manejo desses resíduos mais complexo porque ainda não foi determinado o seu impacto.

Quanto à tecnologia dos bioplásticos, que podem ser biodegradáveis e compostáveis, o MMA entende que deve ser incentivada no Brasil, como já acontece em outros países. No entanto, no que diz respeito ao uso do bioplástico para a confecção de sacolas, existe uma ressalva importante: sem a implementação de uma política de coleta seletiva, de sistemas de compostagem e biodigestores, a aplicação deste material agravaria a situação dos depósitos de lixo no que diz respeito ao acúmulo de resíduos orgânicos, liberando mais gases de efeito estufa como CO2 e CH4

http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/lixo/conteudo_479075.shtml

SACOLAS ECOLÓGICAS:
www.sacolas-ecologicas.blogspot.com

sábado, 8 de novembro de 2008

A PRO TESTE quer que os alimentos para as crianças sejam mais saudáveis e conta com a sua ajuda. Participe deste movimento!

A PRO TESTE está promovendo uma grande campanha para melhorar a qualidade da alimentação de nossas crianças e conta com a sua participação.

Atualmente, os alimentos vendidos para crianças não adotam normas específicas de preparo e conservação e nem limitam o uso de açúcar e gordura.

Um bom exemplo de como as crianças podem ser prejudicadas em sua saúde seria a ingestão de dois biscoitos recheados e um potinho de petit suisse. Ambos equivalem a, respectivamente, 6,5% e 27% do que uma criança da faixa etária de 4 a 7 anos necessita diariamente de açúcar. Outro exemplo seria o consumo de uma fatia de bolo pronto, que equivale a 50% das necessidades diárias de gordura dessas crianças.

ASSINE A PETIÇÃO

Ajude a PRO TESTE a estabelecer limites para o uso de aditivos, gordura e açúcar nos alimentos.

Assine agora!


Calcule suas refeições
Com o nosso simulador, você pode descobrir se a sua dieta e a de seus filhos é saudável. Experimente!

Gostosos e nutritivos
Nós preparamos dicas para fazer pratos benéficos à saude e que a sua família vai adorar. Conheça!


A Pro Teste quer mudar essa realidade. Por isso, pedimos alterações nos alimentos para crianças, como:

* Proibição de gordura trans;
* Limitação da quantidade de açúcar e gordura;
* Proibição da utilização de corantes artificiais e do conservante benzoato de sódio.

Assine aqui a nossa petição online e faça já a diferença. Confira também neste especial como você pode melhorar a alimentação do seu filho.

fonte:
http://www.proteste.org.br/map/show/168886/src/468771.htm

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Mutirão do Lixo eletrônico - 30/10/08 em todo Estado de São Paulo

Mutirão do Lixo Eletrônico: Dia 30 de outubro em todo o Estado de São Paulo

Celulares, baterias e pilhas recarregáveis sem utilidade serão recolhidos em campanha da secretaria do Meio Ambiente
Quando um celular, uma bateria ou uma pilha recarregável deixa de ter utilidade, o que é que deve ser feito? Essa dúvida paira na cabeça de milhares de brasileiros, que por não saberem onde descartar estes materiais, acabam depositando-os em lixos comuns que vão para os aterros de resíduos domiciliares. É aí que começa o problema: a destinação inadequada do lixo eletrônico, ou "e-lixo", pode causar a contaminação de rios e reservatórios, do solo, além de trazer danos à saúde humana.

A questão da destinação correta do e-lixo é o que a Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo quer abordar, no dia 30 de outubro, quando realiza o "Mutirão do Lixo Eletrônico". Prefeituras municipais de todo o Estado vão receber urnas para a coleta do lixo eletrônico e empresas de diversos segmentos também vão atuar como parceiras no Mutirão, coletando o e-lixo, incentivando e divulgando a ação aos seus funcionários. Na capital, a população poderá trocar o lixo eletrônico por mini-coletores para serem utilizados em casa ou no trabalho.

A iniciativa vem em boa hora, justamente quando o Brasil já superou a marca dos 120 milhões de celulares no país e os computadores passaram a casa dos 30 milhões e são substituídos cada vez mais rápido por máquinas mais modernas. O Mutirão também vai abordar a questão da reciclagem, já que muitas substâncias contidas em um equipamento eletrônico podem vir a ser reutilizadas, em vez de descartadas. De um quilo de celular, por exemplo, pode-se reaproveitar de 100 a 150 miligramas (mg) de ouro, 400 a 600 mg de prata, 20 a 30 mg de paládio, 100 a 130 gramas (g) de cobre e 200g de plástico. Ou seja, o e-lixo também pode significar fonte de renda associada à preservação ambiental.

Todas as informações sobre o Mutirão, assim como dados sobre o e-lixo e promoção cultural, estão disponíveis no hot site da campanha: http://www.ambiente.sp.gov.br/mutiraodolixoeletronico

Contamos com a colaboração de todos os interessados para o sucesso deste Mutirão e ao manifestar interesse na participação:

1) Pedimos as seguintes informações com urgência:

* Nome da pessoa responsável pelo recebimento da urna coletora
* Endereço completo para envio da urna coletora - Favor incluir CEP e telefone para contato.
* Informar a possibilidade de recebimento do material no sábado

Essas informações serão repassadas para a empresa responsável pela coleta de material, por isso pedimos a máxima urgência.

2) As faixas e os cartazes do Mutirão do Lixo Eletrônico já estão à disposição dos interessados.
Para que possamos separar e disponibilizar o material aqui na sede da SMA entre em contato com

Endereço:Avenida Professor Frederico Hermann Jr. 345 – 1º andar- Assessoria de Comunicação

Alto de Pinheiros – São Paulo - Tel: 11-3133-4174 (Guimar) / 3133-3377 (Ana)


Para cadastrar a programação para a data, acesse

http://www.cetesb.sp.gov.br/mutiraodolixoeletronico/evento.asp

Sobre o Mutirão

O Mutirão do Lixo Eletrônico integra o Projeto Ambiental Estratégico "Mutirões Ambientais" da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. Desde setembro do ano passado, o projeto já realizou cinco mutirões – Mutirão Verde (plantio e conservação de árvores), Mutirão Ambiental ("evite sacolas plásticas"), Mar Limpo (recolhimento de resíduo sólidos no mar), Mutirão Azul (uso racional da água) e Mutirão da Carona (uso racional dos veículos e redução da poluição atmosférica).

Alguns dados sobre o E-Lixo:

- No lixo eletrônico é possível encontrar substâncias tóxicas como chumbo, cádmio, arsênio e mercúrio (Fonte: SBPC);

- Todos os anos são gerados 50 milhões de toneladas de resíduos eletrônicos no planeta (Fonte: CDI);

- Um celular tem um tempo médio de vida de 18 meses (Fonte: Vivo);

- O Brasil já possui 122 milhões de celulares. São 64 aparelhos para cada 100 habitantes. (Fonte: Anatel);

- A cada segundo, 23 celulares são fabricados no mundo. (Fonte: Motorola);

- Um chip eletrônico exige 72 gramas de substâncias químicas e 32 litros de água para ser produzido. (Fonte: CDI);

- A cada quatro anos, as empresas substituem os seus computadores. Nos domicílios, levam-se cinco anos para trocarem esta máquina (Fonte: Abinee);

- Estima-se que 40% das pilhas comuns vendidas no Brasil sejam falsificadas. (Fonte: Abinee).

Cordialmente,
--
Maria do Rosário Fonseca Coelho

Diretora do Departamento de Atividades em Educação Ambiental

Coordenadoria de Educação Ambiental

Secretaria de Estado do Meio Ambiente

sma.mrosarioc@cetesbnet.sp.gov.br

www.ambiente.sp.gov.br

Tel: 55 -11 – 3723-2732

terça-feira, 7 de outubro de 2008

NA SEMANA MUNDIAL DE PROTEÇÃO AOS ANIMAIS, TV CULTURA LEVA AO AR

De acordo com recentes pesquisas científicas, os animais são seres
sencientes, ou seja, eles têm capacidade emocional para sentir dor,
medo, prazer, alegria e estresse, além de terem memória e, até mesmo,
saudades. E para gerar uma reflexão sobre o tema, a TV Cultura leva ao
ar, na Semana Mundial de Proteção aos Animais, o documentário
"Animais, Seres Sencientes" (Brasil, 2008, 52"). O filme será
apresentado nesta quinta-feira (9/10), às 23h10, na faixa Especial
Cultura.

Produzido pela WSPA (World Society for the Protection of Animals), o
vídeo tem como objetivo mostrar ao público o conceito de senciência
animal, que se aplica a todos os animais vertebrados - mamíferos,
aves, répteis, anfíbios e peixes. A senciência é a capacidade
emocional dos animais; é a percepção de sentimentos como agonia,
temor, etc.

Para transmitir esses conceitos, o documentário conta com a
participação dos maiores especialistas em bem-estar animal do Brasil e
do mundo. Eles comentam, de maneira clara e didática, sobre os animais
de companhia, de produção, selvagens, de entretenimento, etc.
"Animais, Seres Sencientes" é o primeiro documentário sobre o tema no
país. Além disso, grande parte de seu conteúdo se refere à relação
homem-animal.

Mas as novidades não param por aí. A TV Cultura traz ainda, durante a
programação infantil, a campanha publicitária "Cuidando de Seu
Bichinho", uma parceria entre a WSPA, Maurício de Sousa Produções e
Organização Mundial da Saúde. Trata-se de um comercial de 30 segundos,
estrelado pelos personagens da Turma da Mônica, que visa mostrar para
as crianças que ter um animal de companhia é uma grande
responsabilidade. Os vídeos trazem recomendações como "Vacine seu
bichinho todos os anos contra a raiva e outras doenças"; e "Em vez de
comprar, adote um animalzinho de companhia. Há muitos deles, de todas
as idades, precisando de um lar".

Os especialistas que são entrevistados no documentário são:

Nestor A. Calderón Maldonado

Professor de Etologia, Bioética e Bem-estar Animal

Universidade La Salle - Colômbia

Irvênia L.S. Prada

Professora Titular Emérita - FMVZ/USP

Carla Molento

Médica Veterinária - Coordenadora LABEA/UFPR

Professor Ian Duncan

Chefe do Departamento de Bem-estar Animal

Universidade de Guelph - Canadá

Luiz Carlos Pinheiro Machado Filho

Professor LETA/UFSC

Maria José Hotzel

Professora LETA/UFSC

Dr. Françoise Wemelsfelder

Pesquisadora Titular - Faculdade de Agricultura da Escócia

João Telhado Pereira

Professor UFRRJ

Vânia Plaza Nunes

Médica Veterinária Sanitarista - Especializada em Bem-Estar Animal

John Callaghan

Diretor de Programas - CIWF

Mateus José Paranhos da Costa

Professor UNESP Jaboticabal - Grupo ETCO

Adroaldo J. Zanella

Professor de Bem-Estar Animal - Escola Norueguesa de Ciências Veterinárias

Roberto Cabral Borges

Analista Ambiental - IBAMA

Ângela Branco

Coordenadora Técnica - Pró-Animal

ajude ao LAR SANTUARIO DE ANIMAIS NÃO PERDER SUA CASA

https://www.youtube.com/watch?v=Vs63l9_U-E0&feature=share Veja a historia de Rosemary que dedica a cuidar de resgatos de rua e ani...